*
 

Brasileiros que aguardavam atendimento no aeroporto de Lisboa, em Portugal, não pouparam o ex-ministro do governo de Dilma Rousseff, Aloizio Mercandante (PT). Ele foi vaiado e xingado ao, aparentemente, tentar “furar” a fila.

 

A assessoria do ex- ministro informou, em nota, que Aloizio Mercadante e sua esposa estavam na fila de embarque quando foram chamados pelo sistema de som, mais de uma vez, para comparecerem ao balcão da companhia, onde confirmaram a informação que poderiam viajar juntos nas poltronas da classe econômica, como haviam solicitado.

“O ex-ministro sempre respeitou as filas, que são democráticas e não foi diferente desta vez, apenas marcada pela má-fé e a intolerância” afirmou a assessoria.

O texto destaca, ainda que o casal foi agredido “insistentemente por um cidadão e seu pequeno grupo” e que estão sendo sendo preparadas as medidas legais cabíveis contra ele, que se identificou como morador de São Caetano, em São Paulo.

Obstrução á Justiça
Ao lado de Dilma, Lula, José Eduardo Cardoso e Delcídio do Amaral, Mercadante é alvo de um inquérito autorizado pelo ministro Teori Zavascki, do Supremo Tribunal Federal (STF), por obstrução à Justiça.

O ex-ministro da Educação, Aloizio Mercadante foi um dos políticos citados por Delcídio do Amaral na delação premiada. Em um depoimento ao Ministério Público e a integrantes da Polícia Federal,  ele entregou uma gravação feita por um assessor dele, Eduardo Marzagão. O senador cassado contou que o assessor foi procurado por Mercadante, quando ele era ministro e braço direito de Dilma, e decidiu gravar as duas conversas que teve.

Na gravação, Mercadante oferece ajuda política e financeira para que Delcídio ficasse calado.

 

 

COMENTE

Aloizio MercadanteLisboa
comunicar erro à redação