*
 

Zianna Oliphant, 9 anos, roubou a cena durante uma audiência pública em Charlotte, na Carolina do Norte, nos Estados Unidos. Ela não fez nenhuma intervenção fofinha, o que seria esperado de uma criança. A jovem pronunicou um depoimento comovente sobre o racismo e a violência policial.

Na plateia, estavam a prefeita, Jennifer Roberts, e o chefe da polícia, Kerr Putney. Eles são os principais alvos dos protestos da comunidade negra, que pede a renúncia de ambos, por conta dos casos de violência policial contra pessoas negras.

“Eu nasci e cresci em Charlotte e nunca me senti desse jeito. É uma vergonha que nossos pais e mães sejam assassinados e nós não podemos mais vê-los. É uma vergonha que tenhamos que enterrá-los. Precisamos que nossos pais e mães estejam ao nosso lado”, afirmou Zianna.

“Nós somos negros e não devemos nos sentir desse jeito. Não deveríamos protestar porque vocês estão nos tratando errado. Fazemos isso porque precisamos e temos (nossos) direitos’, continuou a menina.

O emocionante depoimento de Zianna ocorre dias após a morte de Keith Lamont Scott, assassinado por um policial negro. As autoridades alegam que o homem estaria armado, mas a versão é contestada pelos familiares. O vídeo divulgado também não confirma as informações da polícia.

Repercussão
O vídeo com o depoimento de Zianna Oliphant viralizou na internet. O jogador de futebol americano Colin Kaepernick, que se notabilizou por denunciar o racismo da polícia norte-americana, compartilhou o vídeo em suas redes sociais.

“Eu não tenho palavras para descrever o quão doloroso é assistir a isso”, opinou Kaepernick.

 

 

COMENTE

estados unidosracismoZianna Oliphant
comunicar erro à redação