*
 

O Irma, furacão mais poderoso já registrado no Oceano Atlântico, passou nesta segunda-feira (11/9) para depressão tropical, em seu avanço pelo sudeste dos Estados Unidos, informou o Centro Nacional de Furacões (CNH) do país.

De acordo com a Agência EFE, às 23h (hora local), o Irma registrava ventos de até 55 km por hora (km/h) e ficava 10 km ao sul de Columbus e 150 ao sul-sudoeste de Atlanta, ambas cidades localizadas no estado da Geórgia.

O ciclone avançava 24km por hora em direção ao noroeste e é esperado “em breve” nos estados do Alabama e Tennessee.

O Irma, que em sua passagem pelo Caribe deixou cerca de 30 mortos e chegou a registrar ventos de até 295km por hora, que o tornaram um furacão de categoria 5, já tinha se transformado em uma tempestade tropical na manhã desta segunda.

Nos EUA, onde tocou a terra no domingo (10), deixou fortes inundações, dez mortos e e cerca de 6,5 milhões de pessoas sem energia elétrica.

Vídeo
A Nasa publicou em sua conta no Twitter um vídeo impressionante que permite repassar os últimos dias do percurso do furacão Irma em apenas 30 segundos. As imagens refletem a trajetória do fenômeno até às ilhas do Caribe, assim como sua chegada ao território americano.

No domingo, a parede norte do olho do furacão devastador Irma atingiu as Florida Keys (um arquipélago composto por cerca de 1,7 mil ilhas no Sudeste dos Estados Unidos). O ciclone, que era da categoria 4, com ventos constantes que atingiam 210 km/h, provocou chuvas intensas e inundações graves.

 

 

COMENTE

EUAGeorgiafuracão Irma
comunicar erro à redação