*
 

Um ex-jogador de críquete foi condenado em Manchester, na Inglaterra, por estuprar uma mulher mais de 150 vezes durante um período de 10 anos. Ele terá que cumprir 18 anos na prisão.

Dion Taljard era um profissional conhecido e muito admirado na sua comunidade. O que ninguém imaginava era que, entre 2002 e 2012, ele abusou física e mentalmente de uma mulher. Em alguns anos, os abusos chegaram a acontecer 50 vezes. Além dos estupros, quando estava bêbado ele também segurava a vítima pelo pescoço até ela desmaiar, torcia os braços da mulher com força, e gritava ordens como: “Você vai obedecer”, segundo o jornal britânico Daily Mail.

Manchester Evening News/Cavendish/Divulgação

A vítima disse que ele era extremamente agressivo e que estava com medo de denunciá-lo. O desespero durante os ataques foi tão grande que ela chegou a tentar tirar a própria vida.

Apenas em 2015 ela conseguiu reunir coragem para ir até as autoridades. Quando Dion descobriu que estava sendo investigado, a encontrou em um bar e bateu os punhos gritando “Boom”. Segundo a sentença do juiz, isso foi qualificado como intimidação, algo que se repetiu em outras ocasiões até o julgamento final.

Quando a sentença foi dada, o magistrado Maurice Greene disse: Você usou violência contra essa mulher muito além dos estupros em si. Você a manipulou e a enviou mensagens ameaçadoras para conseguir que ela fizesse o que você queria. Ela teve medo de você. Em uma ocasião, ela desapareceu e a polícia precisou mobilizar um helicóptero para encontrá-la. Ela se descreveu como alguém no fundo do poço e suicida. Tudo isso por causa das coisas que você fez.”

A defesa do condenado insiste que as acusações são mentirosas e amigos do ex-atleta criaram uma campanha on-line pedindo que o caso seja revisto.

 

 

COMENTE

estuproviolência contra a mulher
comunicar erro à redação