*
 

O governo da África do Sul informou nesta quinta-feira (01/09) que o país passará a fornecer a todas as pessoas infectadas com o HIV o tratamento gratuito. Antes, o país, que lidera no mundo em número de infecções, concedia ou não o tratamento a depender das condições do sistema imune do paciente.

Antes do anúncio feito pelo Departamento de Saúde sul-africano, as pessoas podiam receber o tratamento grátis apenas se tivessem certo nível de glóbulos brancos em seu sangue e fossem os casos considerados mais delicados. “Esta nova política se estende para todas as pessoas que vivem com HIV”, afirmou o departamento.

A mudança é baseada nas diretrizes da Organização Mundial de Saúde (OMS) adotadas no fim de 2015, após a conclusão de que o tratamento para o HIV o mais rápido possível melhora a saúde e prolonga a vida das pessoas portadoras do vírus causador da aids.

A África do Sul tem um dos maiores programas de tratamento para a doença, com mais de 3,4 milhões de pessoas recebendo a medicação para combater o HIV. A Organização das Nações Unidas já disse que cerca de 7 milhões de pessoas na África do Sul tinham a doença no país em 2015.

O Departamento de Saúde sul-africano afirmou que a mudança na política ajudará a elevar a expectativa de vida no país, atualmente em 63 anos, para pelo menos 70 anos até 2030. O órgão advertiu, porém, que a mudança pode levar a mais procura e maior tempo de espera nos postos de saúde e hospitais.

 

 

COMENTE

áfrica do sulHIVaidsmortes por aids
comunicar erro à redação