*

Após confirmar ao Metrópoles a notícia de que o Piantella, restaurante ícone da capital, iria voltar a funcionar, o advogado Antonio Carlos de Almeida Castro, o Kakay, usou suas redes sociais para avisar que a reabertura já tem data: 5 de dezembro.

Mantido durante 38 anos como um dos principais pontos da cidade quando o assunto é política e gastronomia, o Piantella esteve durante todo esse tempo sob a tutela de Kakay. Com novos sócios à frente do negócio, a casa vai voltar a funcionar com a mesma essência, inclusive no que se trata do menu e do corpo de funcionários.

Veja o texto divulgado por Kakay na tarde desta quarta (23/11):

“Piantella Convida: Quando me vi obrigado a fechar o Piantella entendi com profundidade Manoel de Barros quando ele disse ” faz mais presença em mim o que me falta”. Foi um vazio misturado com frustração. À epoca, 31 de Agosto, eu fiz questão de comunicar aos amigos que parte da história da cidade estava fechando um ciclo. Uma impressionante avalanche de manifestações me emocionou.

Amigos, clientes, desconhecidos, não só de Brasilia mas de várias partes se manifestaram. Uma perplexidade triste se abateu sobre os amantes da boa comida, da historia, da política, dos amores, da boêmia, da musica, dos vinhos, sim o Piantella representa tudo isto, e muito mais para Brasilia. E a imprensa nacional , de forma carinhosa, registrou fortemente o vazio que ficou na cidade. Onde ir comer feijoada sábado à tarde? E o cozido no domingo? O profiterole, a língua, o camarão com fettucine, o pastel,o piano, o bom vinho… enfim a vida que pulsava ali.

Esta repercussão fez com que eu tivesse algumas propostas para reabrir, as mais diversas . Mas uma me seduziu de inicio: recebo um telefonema do Omar Peres, o Catito. Grande e genuíno mineiro, com alma carioca, coração boêmio e cabeça universal, que me diz de cara: “Não tenho nenhuma vontade de abrir um restaurante em Brasilia, e nem investiria nisto. Mas quero reabrir o Piantella”. Gostei.

Pergunto se ele tem restaurantes e ele diz: “comprei dois ícones no Rio, o Bar Lagoa e a Fiorentina. E vou reabrir em janeiro , com o Ricardo Amaral, o Hipopotamus. Quero reabrir este ícone de Brasilia, esta instituição que é o Piantella”. E sentamos com um chopp e uma caipirosca como companhia.

Tudo combinava: manter o cardápio, o mesmo espaço, mesmos uniformes, convidar os antigos garçons, ou seja: reabrir o Piantella! Só que agora com a bossa e o charme do Catito. Eu fico de sócio afetivo e convido a todos os amigos que sentiram falta para dia 5 de dezembro às 19h tomarmos posse, outra vez, daquele espaço querido que foi, por 38 anos, a nossa segunda casa. Nosso Fernando Pessoa dizia:  “Não posso querer ser nada. À parte isso, tenho em mim todos os sonhos do mundo”. E foi por sonhar com meu velho e bom Piantella que vamos reabri-lo”



 

COMENTE

piantella