*

O Beirute, bar mais tradicional bar de Brasília, promete novidades para o segundo semestre. De olho no bom momento da coquetelaria no país, os proprietários convidaram o consultor de mixologia Rinaldo Honorato para reformular a carta de drinques das unidades das asas Sul e Norte.

Três propostas com Aperol, entre elas o Spritz; releituras de Gim Tônica, atual drinque da moda; e caipifrutas com sorvete Mesclattino farão parte do novo cardápio. As novidades chegam ao público em outubro.

“Também vou mexer na receita do Diabo Verde”, confirma o barman. “Quero dar uma melhorada no coquetel mais pedido da casa”, completa Rinaldo, que está à frente do projeto mensal Confraria Bartender — reunião de profissionais do setor na capital.

Um dos maiores ícones da cidade! Rs #diaboverde #deontem #beirute

Uma publicação compartilhada por Carol Monteiro (@carolcmonteiro) em

Para quem não sabe, a batida verde do Beirute é sinônimo de alegrias, desilusões e milhares de porres de muitos brasilienses. Sua receita oficial é guardada a sete chaves, mas, sabe-se que é feita com cachaça, limão e licor de menta.

Segundo a história, o Diabo Verde foi criado no final da década de 1970, quando estudantes não tinham dinheiro para comprar uma dose de uísque ou de vodca no Beiras. Para atender a demanda dos clientes, que queriam consumir bebidas alcoólicas, eles criaram o coquetel.



 

COMENTE

gastronomiaDrinkscoquetelariabar beirute