*
 

O ciclista iraniano Bahman Golbarnezhad, de 48 anos, sofreu um grave acidente na manhã deste sábado (17/9) na prova de ciclismo de estrada C4-5 dos Jogos Paralímpicos, disputada no Pontal, na zona oeste do Rio, e morreu pouco depois. Ele caiu durante uma descida na primeira volta. Na queda, ele bateu forte a cabeça. Foi atendido, mas não suportou os ferimentos e acabou morrendo pouco depois.

Golbarnezhad já havia participado de outra prova do ciclismo de estrada nessa edição da Paralimpíada, a de contrarrelógio, na mesma categoria, na quarta-feira, ficando em 14º lugar. O iraniano também disputou os Jogos Paralímpicos de Londres, em 2012. O Comitê Organizador Rio-2016, o Comitê Paralímpico Internacional e o Comitê Paralímpico do Irã devem dar mais detalhes da sua morte ainda neste sábado.

Em agosto, durante os Jogos Olímpicos do Rio, a ciclista holandesa Annemiek van Vleuten também sofreu um grave acidente durante uma descida na prova de ciclismo de estrada. Na ocasião, contudo, o circuito era outro – ela se acidentou no local conhecido como Vista Chinesa. Annemiek chegou a ficar na UTI, mas três dias depois recebeu alta hospitalar.

Prata para o Brasil
Na mesma prova, o brasileiro Lauro Chaman conquistou sua segunda medalha no ciclismo da Paralimpíada do Rio. No circuito montado no Pontal do Recreio dos Bandeirantes, ele completou o percurso de estrada da classe C 4-5 em 2h14min46, atrás apenas do holandês Daniel Gebru, com 2h13min08. O italiano Andrea Tarlao ficou com o bronze.

Para garantir a prata, Lauro Chaman se aproveitou da queda de Yehor Dementyev, da Ucrânia, e Alistair Donohoe, da Austrália, quando eles lideravam a prova. Essa foi a segunda medalha do brasileiro no Rio-2016, pois anteriormente ele havia levado o bronze no contrarrelógio C5.

 

 

COMENTE

Jogos Paralímpicos 2016
comunicar erro à redação