*
 

O principal patrocinador do Boa Esporte anunciou que vai exigir a demissão do goleiro Bruno Fernandes. Caso contrário, o contrato poderá ser rescindido de forma unilateral.

O Grupo Góis & Silva postou a decisão em suas redes sociais neste domingo (13/3). A empresa de suplementos nutricionais Nutrends foi a primeira a deixar o time por conta da repercussão negativa da contratação. No sábado, uma postagem no Facebook avisava aos torcedores que ela não fazia mais parte do grupo de patrocinadores.

O contrato de Bruno deve ser assinado nesta terça-feira (14/3). O Grupo Góis & Silva vai se reunir nesta segunda para conversar com a diretoria do Boa. Em nota, o proprietário da empresa, Rafael Góis, diz que repudia “a todo e qualquer tipo de violência contra a mulher e qualquer outro tipo de violência, independente de classe social, gênero, faixa etária, cor da pele, orientação sexual, religião etc.”

De acordo com o texto, será exigido que a diretoria da equipe desista do goleiro. “Nossa reunião tem por objetivo requerer à diretoria do clube rever sua decisão de contratação do Goleiro Bruno. Caso nosso requerimento decline, infelizmente estudaremos cancelar o patrocínio ao Boa Esporte Clube”. O contrato entre o Boa Esporte com o Grupo Góis & Silva ainda pode valer por mais três anos.

Bruno foi preso em 2010, acusado de assassinar a ex-mulher, Eliza Samudio. Ele foi condenado em março de 2013 a 22 anos e 3 meses de prisão por homicídio triplamente qualificado por motivo torpe, asfixia e recurso que dificultou a defesa da vítima; sequestro e cárcere privado qualificado por ser a vítima menor de 18 anos; e ocultação de cadáver.

 

 

COMENTE

violência contra a mulherGoleiro Brunobruno
comunicar erro à redação