*
 

Enquanto os clubes brasileiros oferecem jogadores e prestam homenagens ao time da Chapecoense, o vice-presidente de futebol do Internacional foi na direção contrária. Em entrevista, Fernando Carvalho, reclamou do adiamento da última rodada do Campeonato Brasileiro, que ocorreu após o avião da Chapecoense cair e matar 71 pessoas na Colômbia, incluindo 19 atletas, 16 membros da comissão técnica e oito dirigentes do clube, além de 21 jornalistas.

“Além do sentimento, pois nossos jogadores a maioria se relacionava com os atletas, deu para ver hoje, na reunião para dispensar o treinamento, retomaremos amanhã, mas temos nossa tragédia particular aqui, que é fugir do rebaixamento. E esse adiamento de rodadas vai ser prejudicial. Como a consternação é geral, não é hora de reclamar, mas certamente, esse adiamento trará alguns embaraços que, lá adiante, vamos ter que comentar”, disse Carvalho, durante entrevista coletiva nesta terça-feira (30/11)"
.

Faltando apenas uma rodada para acabar o Brasileirão, o Inter está na berlinda e corre o risco de ser rebaixado para a série B.

Em nota, o Internacional pediu desculpas sobre a declaração. Confira:

Venho por meio desta pedir desculpas pelas palavras equivocadas utilizadas na entrevista concedida ontem às emissoras Pampa, Record e SBT. Em nenhum momento foi minha intenção comparar a tragédia arrasadora que aconteceu com a Chapecoense, instituição pela qual tenho imensa estima, com a situação do Internacional do Campeonato Brasileiro. Certamente foi infelicidade minha a escolha da palavra tragédia, nesse momento, ao me referir ao nosso caso. Nada se compara com a fatalidade que vitimou nossos colegas desportistas e nos feriu a todos. Reitero desejo de força às famílias e amigos das vítimas e a toda comunidade de Chapecó”.

Mais tarde, Carvalho se arrependeu e pediu desculpas, em entrevista no programa Bate Bola na Veia, do canal ESPN.

Tenho uma excelente ligação com a Chapecoense, inclusive com as pessoas que faleceram. O meu avô dizia que quando temos que explicar é porque erramos. E eu sem dúvidas cometi um erro. E na mesma entrevista tratei coisas desiguais utilizando a palavra tragédia. Estou consternado até agora com a Chapecoense. Pessoas conhecidas, amigas. Acabei me expressando mal, utilizando a palavra tragédia para definir o Inter no Brasileiro e o que aconteceu com a Chapecoense. Foi infelicidade minha. Estou me manifestando nas redes sociais e em tudo. Foi indevido, são coisas distintas e incomparáveis, não gostaria que tivessem acontecido e estou vindo a público reconhecer esse erro. Desculpas principalmente à Chapecoense e pretendo ajudar da melhor maneira possível, meu clube vai ajudar em todos os esforços, com jogadores, participando de acordo para blindar a Chapecoense de um futuro rebaixamento caso não consiga se reerguer rapidamente. Recebi críticas e foram justas, pois a colocação foi infeliz da minha parte”.

 


 

COMENTE

ChapecoenseInternacional FC
comunicar erro à redação