*
 

A polêmica na partida entre Fluminense e Flamengo, na última quinta-feira (13/10), em Volta Redonda (RJ), continua. A dúvida sobre a interferência externa no lance de gol do zagueiro Henrique, anulado pelo árbitro Sandro Meira Ricci, foi posta em xeque no programa “Esporte Espetacular”, da Rede Globo, neste domingo (16/10).

Segundo leitura labial efetuada por um especialista, o inspetor da arbitragem Sérgio Santos teria dito ao juiz: “A TV sabe. A TV sabe que não foi”. Em seguida, ele afirma para os jogadores que se reuniam em volta do árbitro: “Não sei mais de nada, não sei mais nada”. Logo na sequência, Sandro Meira Ricci faz um sinal de positivo com a cabeça e o assistente (que havia apontado impedimento inicialmente) afirma: “pode deixar”.

“Mais difícil explicar”
A leitura labial ainda mostra o assistente falando para Sandro Meira Ricci: “Presta atenção, ainda tem gente aqui (reclamando da confusão), presta atenção, o gol é impedido, é impedimento”. A decisão foi tomada após uma conversa final entre o árbitro e seus assistentes. “Pra mim, está impedido. Dá o impedimento”, disse o auxiliar Emerson Carvalho.

No final, para revolta dos jogadores do Fluminense, o árbitro decide anular o gol, justificando para os capitães Réver e Gum: “Agora, é mais difícil explicar o que aconteceu, tá? Gum, a gente está fazendo o melhor, filho. Ô, filho, não faz isso, não. A gente está fazendo o melhor”.

No começo da confusão, os jogadores do Flamengo também tentaram pressionar o árbitro alegando que a televisão mostrou que existiu o impedimento: “Aqui, ó, na televisão estava, sim! Estava, sim, estava, sim. Na televisão estava”, gritou o zagueiro Rafael Vaz. “Estava impedido. A televisão falou”, disse o lateral-esquerdo Jorge.

Fluminense vai à Justiça
O Fluminense espera provar que existiu interferência externa e anular a partida. O regulamento proíbe qualquer tipo de informação ao árbitro da partida, que deve tomar as decisões baseadas no que ele e seus assistentes enxergam.

Em um caso semelhante, o Palmeiras recorreu ao Supremo Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) para tentar cancelar um jogo contra o Internacional em 2012, ano que o clube paulista foi rebaixado. Na ocasião, o árbitro alagoano Francisco Carlos do Nascimento foi informado pelo quarto árbitro Jean Pierre Gonçalves Lima que o gol do argentino Hernán Barcos foi de mão.

 

 

COMENTE

Campeonato BrasileiroFlamengoFluminenseFla-Flu
comunicar erro à redação