*
 

O acidente aéreo que matou jogadores e comissão técnica da Chapecoense, nesta terça-feira (29/11), ocorre no momento em que o time catarinense vivia seu melhor momento da história. Além dos funcionários da equipe, tripulantes e jornalistas também foram vitimados na tragédia.

A Chapecoense disputaria, nesta quarta (30/11), em Medellín, a final da Copa Sul-Americana, contra o Atlético Nacional. Essa seria a primeira oportunidade da equipe brasileira de conquistar um título internacional.

Veja a ascensão da Chapecoense no futebol brasileiro:

Aguante Comunicação/Divulgação

A Chapecoense em 2013: campanha de acesso à Série A

 

Acesso à Série A
A Chape viveu anos de crise no começo da década de 2000, com campanhas ruins no Campeonato Catarinense. Reorganizado fora de campo, começou a construir o melhor momento de sua história.

Em 2009, o time conseguiu o acesso à série C do Campeonato Brasileiro. A partir daí, a equipe foi subindo de divisão. Ficou em terceiro na série C de 2012. Na disputa da Série B, em 2013, terminou com o vice, atrás do Palmeiras. Detalhe: terminou a campanha sem perder para o time paulista.

Em 2016, a equipe comandada pelo treinador Caio Júnior fazia a melhor campanha da história. Em nono lugar, a Chapecoense acumula 52 pontos, com 13 vitórias ao longo do campeonato.

Competições internacionais
A bonita história da Chapecoense na Copa Sul-Americana começou em 2015. Classificada ao torneio, a equipe passou pela Ponte Preta, de Campinas, na primeira fase. Na sequência, eliminou o Libertad, do Paraguai.

Nas quartas de final, a Chapecoense encarou o River Plate, então atual campeão da Libertadores. Saiu do Monumental de Núñez derrotado por 3 a 1. Mas deixou a competição de forma heroica, fazendo um dos grandes jogos de sua história: vitória de 2 a 1 na Arena Condá (relembre no vídeo acima), estádio-caldeirão do time.

Em 2016, a Chapecoense marcaria de vez a história do futebol sul-americano. Entrou direto na segunda fase, eliminando o Cuiabá após vitória por 3 a 1 em casa. Nas oitavas, o confronto colocou o time de Santa Catarina no caminho do Independiente, time argentino apelidado de Rei de Copas: é o maior campeão da Libertadores, com 7 taças.

Dois empates em jogos dramáticos. Na Arena Condá, vitória nos pênaltis, por 5 a 4 (veja no vídeo acima). Nas quartas, a Chape contou novamente com a força de seu estádio para superar o colombiano Junior Barranquilla: 3 a 0 para garantir vaga entre os quatro melhores da Sul-Americana.

A consagração da Chapecoense veio de vez na semifinal. Visitou o Nuevo Gasómetro e saiu de lá com um bravo empate por 1 a 1 com o San Lorenzo, campeão da Libertadores de 2014 e conhecido como o time de coração do Papa Francisco. Na volta, o goleiro Danilo, nos minutos finais (vídeo acima), garantiu o 0 a 0 e a classificação para a final.

 

 

COMENTE

ColômbiaCopa Sul-AmericanaChapecoenseCampeonato Brasileiroconmebol
comunicar erro à redação