*
 

A banda Guns N’ Roses, por alguns anos, tornou-se propriedade do vocalista Axl Rose. Menos estridente do que em outros tempos, o roqueiro negou que algum dia voltaria a dividir o palco com o guitarrista virtuose Slash. Aos poucos, ele amansou e voltou atrás. Com Duff McKagan repatriado, o trio remanescente da formação original se apresenta em Brasília neste domingo (20/11), no estádio Mané Garrincha.

Entre o fim dos anos 1990 e 2014, Axl comandou o Guns em flashbacks que beiraram o constrangimento público: atrasos de horas antes dos shows, como na última apresentação na capital, em 2014, rusgas com a plateia e versões pouco inspiradas dos clássicos. No domingo, espera-se uma atmosfera bem diferente.

Divulgação

Hits nas mãos de Slash

O ponto de virada do “novo velho” Guns N’ Roses é o retorno de Slash. Há quem diga que ele é o verdadeiro talento do grupo, que formatou seu hard rock na herança deixada por Led Zeppelin, Van Halen e demais representantes de arena nos anos 1970. Pudera.

“Sweet Child o’ Mine”, “Welcome to the Jungle” e outros hits soariam inofensivos sem os riffs e solos do guitarrista. A presença de Slash também incrementa o estilo pop e a postura festeira da banda. O Guns 2016 é a versão mais próxima que os fãs verão do grupo que estourou entre o fim dos anos 1980 e os primeiros anos da década de 1990.

Repertório que passeia por fases distintas
Essa atual turnê de retorno, “Not In This Lifetime”, representa quase que uma reconciliação do Guns com seus fãs. Por isso, a excursão pela América Latina vem seguindo mais ou menos o mesmo roteiro. Do disco mais importante, “Appetite for Destruction” (1987), os roqueiros recuperam entre 7 e 8 faixas.

Fácil prever quais são: “Sweet Child o’ Mine”, “Welcome to the Jungle”, “Paradise City” e outras mais. Sucessos como “November Rain” e “Civil War” preenchem a cota extraída do díptico “Use Your Illusion” (1991). O mui criticado “Chinese Democracy” (2008) ainda se infiltra no repertório com três canções.

Os hits autorais formam um êxtase pop na companhia dos conhecidos covers que o Guns costuma fazer nos shows. Além das manjadas “Knockin’ on Heaven’s Door” (Bob Dylan) e “Live and Let Die” (Paul McCartney and Wings), Axl e Slash também mandam versões de “Wish You Were Here” (Pink Floyd), “Attitude” (Misfits) e “The Seeker” (The Who). Slash aproveita o clima até para dedilhar os acordes do tema do filme “O Poderoso Chefão”.

Guns N’ Roses
Domingo (20/11), às 20h, no estádio Mané Garrincha (Eixo Monumental). Ingressos: R$ 210 (cadeira superior), R$ 300 (cadeira inferior), R$ 350 (pista), R$ 400 (cadeira VIP) e R$ 540 (pista premium). Não recomendado para menores de 18 anos. Menores devem ser acompanhados por pais ou responsáveis.

 

 

COMENTE

Estádio Mané Garrinchaguns n' roseshard rockAxl Roseslash
comunicar erro à redação