*
 

O Green Day liberou nesta sexta-feira (7/10) seu 12º álbum de estúdio, “Revolution Radio”. A banda, antes do lançamento, já havia divulgado os vídeos das faixas “Bang Bang” e “Still Breathing”. Se nos trabalhos mais recentes o power trio tinha diminuído a pegada, neste novo álbum, Billie Joe (guitarra e vocal), Mike Dirnt (baixo) e Tré Cool (bateria) aparecem revigorados, ao melhor estilo anos 1990.

A decisão de não contar com um produtor por trás da sonoridade fez com que o grupo resgatasse suas raízes. “Revolution Radio” é o primeiro álbum desde que o vocalista Billie Joe foi para a reabilitação para se tratar do vício em remédios.

Refrões certeiros
As músicas do disco têm refrões certeiros. “Outlaws” e “Say Goodbye” externam a essência do punk californiano feito pelo trio, que após “American Idiot” (2004) parece ter aderido ao pop rock sem contra-indicações.

As letras de Billie Joe soam mais maduras. “Bang Bang”, por exemplo, foi escrita do ponto de vista de um atirador em um massacre. Em entrevista recente a NME, ele afirmou que o novo disco foi inspirado em sua raiva pelos Estados Unidos e a aparição repentina de Donald Trump (candidato republicano à presidência dos Estados Unidos).

“O pior problema que vejo no Trump é justamente em quem o segue. Eu me sinto mal por eles, porque eles são pobres, pessoas da classe operária, que estão lutando para se sustentar. Eles estão bravos, e ele (Trump) está usando isso em favor dele. Ele (Trump) apenas diz: Você não tem opção e eu sou a única opção, e eu vou tomar conta disso. Ele é a porra do Hitler, cara”, disse ele.

 

 

COMENTE

rockgreen dayrevolution radio
comunicar erro à redação