*
 

Há coisas que só a arte pode fazer. Uma delas é transformar versos improvisados durante uma abordagem policial no hit do verão. “Me Libera, Nega” está na boca de todo mundo, mas surgiu enquanto Ítalo Gonçalves (ou MC Beijinho) era preso em Salvador.

Ítalo foi preso em flagrante ao tentar roubar um celular, em novembro de 2016. O programa “Balanço Geral”, de plantão na porta da delegacia, entrevistou o artista. “Me deu a visão naquele momento: ‘Chegou a minha hora'”, explicou o jovem ao Uol.

O rapaz então aproveitou o espaço dado pela atração e começou a cantar o versos. Assim, surgiu um viral que rodou toda a internet e caiu no colo da Sony Music. Um mês depois, Ítalo ganhou banho de loja e virou o MC Beijinho.

O sucesso “Me Libera, Nega” conquistou jogadores de futebol e até o cantor Caetano Veloso. A faixa é apontada como um dos hits do carnaval de Salvador. O samba-reggae, com a cara do verão baiano, já tem até um clipe:

O clipe de “Me Libera, Nega” é dirigido pelo cineasta Chico Kertész, que se ofereceu para o projeto após ver o vídeo de Ítalo na porta da delegacia.

Da pipoca para o trio
A história de MC Beijinho parece enredo de filme: mais especificamente a do longa “Ó Paí, Ó” (2007). O cantor sempre ia ao carnaval baiano, mas na pipoca, onde vendia algodão-doce e mousse no
circuito Barra-Ondina.

No entanto, ele largava tudo para ouvir o Chiclete com Banana, antiga banda do ídolo Bell Marques. Em entrevista ao Correio da Bahia, Ítalo contou que seu maior sonho é ver o cantor interpretar “Me Libera, Nega”.

MC Beijinho, atualmente, frequenta uma casa de recuperação cristã em Salvador e se prepara para se apresentar em cima de um trio durante o carnaval de Salvador deste ano.

 

 

COMENTE

SalvadorVerão 2017carnaval 2017Me libera NegaMC Beijinho
comunicar erro à redação