*
 

Com obras que perpassam temas atuais, como a vida no campo e o assédio sexual contra mulheres, começa nesta quarta (21/9) a programação regular do 49º Festival de Brasília. Duas mostras paralelas e a sessão competitiva exibem seus primeiros filmes ao longo do dia, sempre no Cine Brasília.

Brasil rural e narrativas sobre retornos
No concurso principal, previsto para começar às 21h30, “Rifle” (foto no alto) narra os embates entre agricultura particular e especulação de terras. Uma família tem seu cotidiano pacato atormentado pelas investidas de um fazendeiro que tenta adquirir a propriedade onde vivem o jovem Dione e seus parentes. É o segundo longa-metragem do gaúcho Davi Pretto, autor de “Castanha” (2014).

Entre os curtas e médias selecionados, chegam à primeira noite competitiva “Ótimo Amarelo” (BA) e “Quando os Dias Eram Eternos” (SP). O primeiro, de Marcus Curvelo, narra o retorno de um personagem a Salvador. Única animação no segmento, o curta de Marcus Vinicius Vasconcelos acompanha a volta do filho à casa onde cresceu para cuidar da mãe moribunda.

Divulgação

A imagem da mulher
Fora de competição, os segmentos “A Política no Mundo e o Mundo da Política” e as Sessões Especiais também começam nesta quarta (21/9). Com depoimentos de mulheres de diferentes realidades sociais, “Precisamos Falar do Assédio” (SP, foto acima) busca traçar uma reflexão sobre violência a partir do desabafo das entrevistadas.

Outro filme que tenta refletir sobre machismo e gênero, “Câmara de Espelhos” (PE) também parte da realidade. Uma sala em forma de caixa preta desnuda o discurso masculino e investiga a visão dos homens ali presentes sobre a mulher.

Destaques de quarta (21/9) no Festival de Brasília:

15h – mostra “A Política no Mundo e o Mundo da Política”, com entrada franca
“Sexo, Pregações e Política” (RJ, 77min, 10 anos), de Aude Chevalier-Beaumel e Michael Gimenez

17h – Sessão Especial, com entrada franca
“Câmara de Espelhos” (PE, 76min, livre), de Dea Ferraz

19h – Sessão Especial, com entrada franca
“Precisamos Falar do Assédio” (SP, 80min, 18 anos), de Paula Sacchetta

21h30 – Mostra Competitiva
“Ótimo Amarelo” (BA, 20min, livre), de Marcus Curvelo
“Quando os Dias Eram Eternos” (SP, 12min, livre), de Marcus Vinicius Vasconcelos
“Rifle” (RS, 85min, 14 anos), de Davi Pretto

49º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro
Até terça (27/9), no Cine Brasília (Entrequadra 106/107 Sul, 3244-1660). Mostra competitiva: R$ 12 (inteira) e R$ 6 (meia). Entrada franca em mostras paralelas e sessões especiais. Classificação indicativa varia de acordo com os filmes. Programação completa e agenda de reprises no site oficial.

 

 

COMENTE

festival de brasíliacine brasíliafestival de brasília 2016precisamos falar do assédiorifle
comunicar erro à redação