*
 

Uma numerosa equipe subiu ao palco do Cine Brasília para apresentar o longa cearense “O Último Trago”, assinado por Luiz Pretti, Pedro Diogenes e Ricardo Pretti. Junto com o curta “Solon”, o filme abriu a primeira de duas sessões noturnas desta sexta (24/9) no Festival de Brasília.

“Um filme sobre a capacidade de se sensibilizar com um rastro do passado”, descreveu uma das integrantes da equipe. Pouco antes, Clarissa Campolina falou sobre o curta “Solon”, espécie de fábula sobre a criação do mundo. “Esse filme surgiu das paisagens de minério que cercam minha cidade. A partir delas, sempre me questionei se existia um mundo por vir”, disse Clarissa. Novos protestos “Fora, Temer” marcaram a apresentação.

Logo depois desses filmes, foi a vez do curta “Constelações”, de Maurílio Martins, e o longa “A cidade onde envelheço”, de Marília Rocha, serem exibidos. A sessão das 21h30 foi uma das mais concorridas e gerou uma imensa fila para entrar no Cine Brasília.

Confira o que está rolando no festival ao vivo:

 


 

COMENTE

Festival Cinema Brasilia
comunicar erro à redação