*
 

A noite de abertura do 49° Festival de Brasília, no Cine Brasília, ficou marcada por protestos de público e cineastas contra o presidente Michel Temer. Depois de subir ao palco para apresentar o documentário “Cinema Novo”, Eryk Rocha deu o recado: “Eternamente Fora, Temer”. O público respondeu com gritos de “Fora, Temer”.

Filho de Glauber Rocha, Eryk lembrou que o filme é uma homenagem à geração que revolucionou o cinema brasileiro. Também fez referência ao golpe militar de 64, vivido por seu pai e outros diretores da época.

“Hoje tragicamente vivemos um momento grave. Golpe aparecendo de novas formas. Essa sessão vai virar uma grande manifestação”, protestou. Lauro Escorel, apresentou o curta que abriu a noite, “Improvável Encontro”. “Nasceu de conversas com o grande amigo e crítico José Carlos Avelar. Dedico o filme a ele”.

Na parada de ônibus em frente ao Cine Brasília, manifestantes também deixaram protesto. Desta vez por meio de cartazes contra a Lei Rouanet e o Partido dos Trabalhadores.

Gabriela de Almeida/Metrópoles  

 

COMENTE

Festival de Brasília do Cinema Brasileirofestival de brasília 2016
comunicar erro à redação