*
 

Antes mesmo dos créditos iniciais, dois filmes exibidos nesta quarta (21/9) no 49° Festival de Brasília exibiram carimbos de protesto durante a sessão. Logo na primeira noite de mostra competitiva, o evento parece ter assumido de vez sua vocação histórica: acender um debate político e contestador.

Assim que a mensagem “Cinema Contra o Golpe” surgiu nos créditos iniciais do curta “Quando os Dias Eram Eternos”, a plateia reagiu. “Fora, Temer”, gritou alguém. Outro espectador retrucou com “Fora, PT”. As trocas continuaram, um burburinho tomou conta do Cine Brasília com o filme já começando, e um terceiro deu o recado. “Aqui é cinema!”.

O longa “Rifle”, outro que mostrou o carimbo de protesto, pareceu captar o tom adequado para um festival aquecido por farpas ideológicas e políticas. No filme do gaúcho Davi Pretto, um jovem armado defende uma propriedade familiar no interior do Rio Grande do Sul dos interesses do agronegócio.

 

 

COMENTE

festival de brasíliacine brasíliafestival de brasília 2016Protesto contra Temer49º festival de brasília
comunicar erro à redação