*
 

Pela qualidade de seus filmes e por polêmicas como o protesto no Festival de Cannes e o Oscar 2017, Kleber Mendonça Filho é o diretor de cinema mais comentado do Brasil na atualidade. O cineasta de “Aquarius” (leia crítica) e “O Som ao Redor” (2012) faz uma visita ao 49º Festival de Brasília nesta segunda (26/9), às 14h, para dar uma palestra sobre direção cinematográfica. Com entrada franca, o evento acontece no salão Caxambu do Kubitschek Plaza.

“Aquarius” representa o auge da carreira do diretor nascido em Recife, em 1968. O filme foi selecionado para competir pela Palma de Ouro em Cannes em 2016 e saiu do festival elogiado pela crítica.

Três anos antes, “O Som ao Redor” (2012) colocou o cineasta no circuito dos festivais, articulando influências de diretores como Elia Suleiman e John Carpenter. Mendonça Filho estreou em longas com “Crítico” (2008), documentário em que ele aproveitou sua experiência como jornalista para coletar depoimentos de cineastas e críticos de cinema.

Trajetória no Festival de Brasília
Antes de dirigir seus primeiros longas, Kleber Mendonça Filho realizou uma série de curtas importantes. Vários deles foram revelados e premiados em edições passadas do Festival de Brasília. O cineasta reuniu esses trabalhos em seu perfil no Vimeo e no Blu-ray de “O Som ao Redor”.

“Vinil Verde” (2004) levou troféus de crítica, direção e montagem. “Noite de Sexta, Manhã de Sábado” (2006) ganhou honras de melhor atriz (para a ucraniana Bohdana Smyrnova) e crítica.

Na mais marcante de suas passagens, “Recife Frio” (2009) fisgou prêmios de melhor filme por público e crítica, além de direção e roteiro. Em 2012, retornou à mostra para exibir “O Som ao Redor” fora de competição.

 

 

COMENTE

festival de brasíliaaquariuskleber mendonça filhoo som ao redorfestival de brasília 201649º festival de brasília
comunicar erro à redação