*
 

O ano de 2017 mal começou e já tem Globo de Ouro a caminho. Neste domingo (8/1), a partir das 22h, o canal por assinatura TNT transmite a cerimônia de premiação ao vivo. Durante a noite, conheceremos os melhores do cinema e da TV exibidos em 2016. O musical “La La Land – Cantando Estações” e a série “Game of Thrones” lideram as indicações.

Que o Globo de Ouro é um dos (vários) termômetros do Oscar, ninguém duvida. Mas o modelo de votação e categorização explica as diferenças entre os prêmios. Votam no Globo os (pouco mais de 90) membros da Associação da Imprensa Estrangeira de Hollywood. Ao contrário do Oscar, o evento estende seus troféus à TV e funciona como a principal vitrine para as produções da telinha.

No Oscar, o colegiado é composto por milhares de profissionais da indústria de cinema, incluindo atores, diretores e produtores. Os indicados à estatueta serão anunciados em 24 de janeiro, enquanto a abertura dos envelopes só acontece em 26 de fevereiro.

Até lá, temos os escolhidos dos sindicatos dos diretores (DGA) e produtores (PGA), fundamentais para a “Oscarologia”. Mas o que esperar do Globo de Ouro? Veja 3 coisas que podem ser destaque na premiação deste domingo (8/1):

Reprodução/Facebook

Ganhar do Oscar no fator carisma
Todo mundo sabe que o Oscar é mais significativo, mas há outras coisas em jogo entre as duas premiações: audiência e repercussão nas redes sociais. O Globo é conhecido por ser um evento menos extravagante. Costuma ter celebridades exagerando nos drinques e uma cerimônia que tenta fugir de formalidades protocolares.

Em 2016, Ricky Gervais (Globo) e Chris Rock (Oscar) comandaram eventos marcados por tiradas polêmicas, com o segundo tendo bem mais sucesso que o primeiro. Ao apostar no apresentador Jimmy Fallon, o Globo tenta equilibrar carisma e leveza. Jimmy Kimmel, escolhido do Oscar, é menos conhecido, mas igualmente esperto.

Consagrar de vez “La La Land” e “Moonlight” ou aprontar surpresas?
Em dezembro, analisamos como andava a corrida do Oscar. Até agora, pouco mudou em termos de favoritismo. E é bem possível que fique assim até saírem as listas dos sindicatos de diretores e produtores. “La La Land – Cantando Estações” agiganta-se pela presença em listas e prêmios, mas é seguido de perto por “Moonlight”, quase unanimidade entre os críticos.

Os dois podem sair consagrados do Globo de Ouro, já que competem em categorias distintas: “La La Land” em comédia/musical e “Moonlight” entre os dramas. Com Emma Stone e Ryan Gosling, o musical vem sendo descrito como um filme irresistível sobre Hollywood. Parece prêmio certo. “Moonlight” sofre concorrência de “Manchester à Beira-Mar”.

HBO/Divulgação

“Game of Thrones” vai finalmente ganhar o prêmio principal? 
Sucesso de audiência, a série sobre intrigas palacianas ainda busca o topo do Globo de Ouro. O único troféu pertence a Peter Dinklage, intérprete do sagaz Tyrion Lannister. Em 2017, o programa acumula a quarta indicação a melhor seriado dramático e pode converter as boas performances de Lena Headey na sexta temporada em prêmio de atriz coadjuvante.

O histórico é duro. Derrotas para “Mr. Robot” (2016), “The Affair” (2015) e “Homeland” (2012). Desta vez, “Game of Thrones” concorre com outro produto da “casa” (HBO), “Westworld”, e as fortes “Stranger Things” e “The Crown”, revelações da Netflix. “This Is Us” entra como azarão.

 

 

COMENTE

HollywoodGlobo de OuroJimmy Fallonoscar 2017manchester à beira-marla la land – cantando estaçõesmoonlight
comunicar erro à redação