*
 

A premiação de produções de estudantes dos ensinos médio e profissionalizante e Educação de Jovens e Adultos (EJA) movimentou a manhã desta segunda-feira (2/0) no Cine Brasília. Oito categorias foram disputadas por 21 trabalhos nesta etapa do 2º Festival de Filmes Curta-Metragem das Escolas Públicas de Brasília. A obra “Silêncio”, de estudantes do Centro Educacional 2 do Guará, foi agraciada com o título de melhor filme.

“O filme aborda a opressão, a luta de duas meninas que se amam para ficar juntas, que é uma coisa muito complicada de acontecer hoje em dia”, explicou o estudante do 3º ano Nelson Fontella, de 18 anos. “É um tema que precisamos discutir bastante ainda, para evoluir socialmente. É necessário levar a sério o fim do preconceito”, disse.

A entrega da placa aos alunos participantes foi feita pela colaboradora do governo Márcia Rollemberg. “O audiovisual é uma das linguagens mais importantes da atualidade, e essa iniciativa está de parabéns”, avaliou.

Neste ano, o evento — parte do 49º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro — homenageou o cineasta Sérgio Moriconi. Os curtas que disputavam as premiações foram exibidos no Cine Brasília em 14 de setembro. O júri foi formado por servidores das secretarias de Cultura e de Educação.

O mistério da vida foi premiado na categoria melhor abordagem do tema Água e Saúde: uma agenda para a vida. O filme foi produzido por alunos do Centro Educacional 8 do Gama. Melhor fotografia ficou com “Fear”, do Centro de Ensino Médio Paulo Freire, e melhor roteiro, com “Solitário indagador”, de estudantes do Centro Educacional 310 de Santa Maria. O curta “Paranoia” levou a categoria de melhor ator, com o estudante João Vitor Pinheiro da Conceição; a produção foi de alunos do Centro Educacional 1 do Guará.

“Um projeto desse desenvolve no aluno a inciativa, a criatividade, a participação, o sentimento cidadão que queremos. Então eu fico muito satisfeito”, pontou o secretário de Educação, Júlio Gregório Filho, ao fazer um balanço desta edição do prêmio. O evento contou ainda com a participação do coordenador de Audiovisual da Secretaria de Cultura, Sérgio Fidalgo.

Animação vence melhor montagem
Estudantes da Escola Bilíngue Libras e Português Escrito de Taguatinga venceram na categoria melhor montagem, com a animação “Mãos que Narram o Amor”. “Fiquei muito feliz! Perfeito ter um filme onde se usa língua de sinais”, declarou o aluno do 3º ano Ramon Oliveira, de 16 anos.

A produção, que trata de amor e da língua de sinais, foi feita com massas de modelar. Tainara Bastos, de 23 anos, foi uma das estudantes que ajudou no processo de modelagem. “Quando vi o resultado, fiquei maravilhada. Até chorei de tanta emoção”, destacou, que exaltou a felicidade de ganhar a premiação nesta segunda-feira, Dia Nacional dos Surdos.

Violência contra a mulher leva duas categorias
A violência contra a mulher foi tema de “O Minuto”, de alunos do Centro Educacional 310 de Santa Maria. Ele reforçou a importância em denunciar casos de violência. O curta ficou com o prêmio de melhor atriz, para Mayara Costa da Silva.

Já “A Cada 15”, de alunos do Centro Educacional 310 de Santa Maria, levou a melhor direção. “No dia a dia é possível ver que a mulher sofre bastante, não só em termos de violência, mas em padrões, rótulos que pessoal sempre impõe”, frisou a estudante do 3º ano Deborah Cutrim, de 17 anos.

Parceiro do festival, o Centro Universitário Iesb oferecerá oficina de audiovisual para os alunos vencedores. Já o Espaço Cult premiou com cursos na área de cinema dois professores e dois estudantes.

Alunos do ensino fundamental foram premiados na sexta-feira (23/9)
A premiação da etapa de ensino fundamental do 2º Festival de Filmes Curta-Metragem das Escolas Públicas de Brasília ocorreu na sexta-feira (23/9), também no Cine Brasília. A categoria de melhor filme foi para Experiência terra, do Centro de Ensino Fundamental 1 do Riacho Fundo II.

Nos dois casos, as produções dos alunos foram acompanhadas por professores. De acordo com a Secretaria de Educação, foi liberado o uso de qualquer equipamento para fazer as filmagens, desde que apresentassem boa qualidade de imagem e som. Cento e três filmes concorreram.

 


 

COMENTE

Festival de Brasília do Cinema Brasileiro49º festival de brasília
comunicar erro à redação