*
 

Estreante no Festival de Cannes com os filmes “Okja” e “The Meyerowitz Stories”, a Netflix mal chegou ao evento e já passou pela experiência de ser vaiada.

Assim que a logo da produtora de streaming foi mostrada na tela, na estreia de “Okja”, a plateia se manifestou em peso, segundo relatos postados por jornalistas em redes sociais. “Meyerowitz” será exibido domingo em Cannes.

Dirigido pelo sul-coreano Bong Joon-ho (“Expresso do Amanhã”) e com elenco de estrelas de Hollywood (Jake Gyllenhaal, Tilda Swinton, Paul Dano), “Okja” ainda teve problemas de projeção. O filme começou na janela de aspecto errada e a exibição seguiu por dez minutos.

Com o problema resolvido, a sessão recomeçou, a logo da Netflix surgiu novamente na tela e sofreu mais uma rodada de vaias, segundo jornalista do “The Hollywood Reporter”.

Entenda a polêmica entre Netflix, Cannes e cinemas franceses
Selecionados para competir à Palma de Ouro, “Okja” e “The Meyerowitz Stories” não devem estrear comercialmente na França, o que causou a fúria dos exibidores de cinema. No país, a lei de distribuição é rígida e impõe restrição cronológica de lançamento em outros formatos.

Um filme só pode ser exibido em plataformas digitais três anos após a estreia nos cinemas. “Okja” passa em Cannes em maio e entra no catálogo da Netflix em 28 de junho. A produtora de streaming chegou a esboçar um lançamento em circuito limitado, mas não houve acordo com exibidores franceses.

Cannes decidiu, então, mudar as regras. A partir de 2018, apenas filmes com lançamento garantido na França serão avaliados para um possível lugar na competição pela Palma de Ouro.

 

 

COMENTE

NetflixBong Joon-hocannesokjafestival de cannes 2017
comunicar erro à redação