*
 

Onipresente em curtas-metragens de jovens cineastas da cidade, o carismático Andrade Júnior está prestes a dar um salto na carreira. Acostumado a personagens coadjuvantes, o ator será pela primeira vez protagonista de um longa. Ele começa a filmar em setembro o segundo longa do recifense Camilo Cavalcante (“A História da Eternidade”).

O filme terá locações na Bolívia, no Chile e no Paraguai. “Camilo escreveu esse roteiro para mim. Todo mês ele manda dinheiro para eu fazer pilates”, diverte-se o ator, ao comentar a preparação para o papel.

“É um filme poético, sobre um velho que está arrependido e precisa voltar para o passado. Aqui, não posso rir nenhuma vez”"

Em “King Kong en Asunción”, Andrade encarna um matador em conflito que anda às voltas com seu histórico de violência. Em busca de paz consigo mesmo, viaja para a capital paraguaia e tenta finalmente conhecer sua filha, fruto de antigo relacionamento com uma prostituta.

O cearense, que vive em Brasília desde 1959, acaba de filmar “Rosinha e Assis”, curta de Gui Campos. Além dessa e de “King Kong en Asunción”, Andrade aparece em outras seis produções deste ano: os curtas “O Melhor Fotógrafo do Mundo”, de Fáuston da Silva, e “Amor e Brega”, de Ronaldo Duque, e os longas “Licência Prêmio”, de Santiago Dellape, e “O Outro Lado do Paraíso”, de André Ristum.

 

 

COMENTE

andrade juniorking kong en assuncioncamilo cavalcante
comunicar erro à redação