*
 

Neste sábado (17/9), a capital vai ganhar uma trilha sonora bem animada. No estacionamento do Estádio Mané Garrincha vai rolar a quinta edição do Samba Brasília, o maior festival do gênero do país.

Desta vez, os palcos do mega evento receberão artistas de renome nacional, como Arlindo Cruz, Xande de Pilares, o grupo Gigantes do Samba (Alexandre Pires, Belo e Luiz Carlos – foto no alto) e a junção de Thiaguinho, Péricles e Chrigor no projeto A Gente Faz a Festa.

Veja a programação completa:

– A Gente Faz a Festa (Chrigor, Péricles, Thiaguinho e Pinha)
– Molejo
– Sorriso Maroto
– Turma do Pagode
– Xande de Pilares e Arlindo Cruz
– Mumuzinho
– Gigantes do Samba
– Pixote

Leia uma entrevista com o grupo Gigantes do Samba:

Com três nomes de destaque no samba e no pagode, todos com uma extensa trajetória, como foi pra vocês pensar em quais musicas entrariam no repertório?
Luiz Carlos – Fácil não foi, mas fizemos um exercício de fãs, cada um opinou no repertório do outro. O Alexandre como produtor musical foi responsável em fazer a união de tudo, montar a ordem dos individuas os encontros. Foi bem complicado, todos nós temos muitos sucessos e tentamos enxugar ao máximo com o que há de melhor de nós três. Deu certo e ainda temos repertório para, pelo menos, três projetos.

O formato do show é como um concerto, com todos os músicos muito bem vestidos. Como foi criado esse formato?
Belo – Vemos este como um projeto grandioso que merecia ser visto pelo público com glamour. Foi criado um figurino partir da proposta que colocamos de estarmos todos no mesmo estilo. O Alexandre é conhecido por seu estilo e acho que fomos contagiados.

Quantos shows já foram feitos com vocês três juntos? Até quando vai a turnê?
Alexandre Pires – Muitos e em todas as regiões do Brasil. Agora em agosto encerra a participação do Belo, isso estava programado desde o início. A partir daí seguimos com a formação original até o início do próximo ano, quando eu e o Luiz vamos seguir com nossos projetos individuas.

Vocês apresentaram o projeto pela primeira vez em Brasília dentro da programação do Festeja, um festival essencialmente sertanejo. Como é pra vocês transitar por diferentes ritmos?
Luiz Carlos – É muito importante ver que o samba tem esta capacidade de passear em vários universos da música. Vimos que o público é eclético e não se volta para um só segmento. Os festivais são para promover essa união. Ficamos bem felizes porque fomos a última atração e o pessoal ficou até o final sem arredar o pé.

O público brasiliense pode esperar alguma novidade para o show deste sábado? Algo que não tenha acontecido na apresentação do Festeja?
Belo – Um show completo. No Festeja, por conta dos atrasos, tivemos que fazer somente 40 minutos de show. Agora queremos mostrar ele completo. Temos certeza que todos irão se surpreender, porque é para isso que trabalhamos, para que o público se divirta com três artistas que querem levar o melhor de cada um.

Samba Brasília
Neste sábado (17/9), a partir das 15h, no estacionamento do Estádio Nacional Mané Garrincha (Eixo Monumental, 4007-1108). Ingressos a partir de R$ 80. À venda no site Bilheteria Digital. Não recomendado para menores de 18 anos.

 

 

COMENTE

samba brasília
comunicar erro à redação