*
 

Muitas reclamações marcaram a festa Contraplano realizada na noite desse sábado (24/9) na Mansão dos Arcos do Park Way. Na página do evento do Facebook, os participantes relataram que, além da falta de organização, a festa contou com longas filas na bilheteria e nos banheiros e furtos de celulares.

Logo no início, quem optou por comprar o ingresso na internet, demorou para conseguir entrar no local. Os organizadores não disponibilizaram de um leitor de QR Code e tiveram que pedir para quem estava na fila entrar por ordem alfabética.

“Fila para entrar por ordem alfabética? É sério isso, produção? Então qual o sentido de baixar/imprimir o ingresso? Espero que a produção comece a raciocinar e a, realmente produzir um evento com uma organização decente. Indesculpável comprar um ingresso com tanta antecedência para passar por uma tentativa de organização que não faz o menor sentido”, relatou uma das frequentadoras.

Lá dentro, as reclamações não pararam. As longas filas para comprar bebidas e a falta de banheiros químicos foram outros motivos que fizeram os convidados comentarem negativamente sobre a festa. Enquanto alguns reclamavam da qualidade do som, outros alertavam os amigos na página do evento porque tinham sido furtados.

 

Reprodução/Facebook Reprodução/Facebook Reprodução/Facebook Reprodução/Facebook

O produtor responsável pelo evento, Cleber Machado, disse que tomou conhecimento das reclamações, mas que a organização fez o melhor que pode para que os contratempos não fossem maiores. “Foi uma falha realmente de planejamento. Um erro de estratégia na portaria”.

Cleber disse que a decisão de não usar o QR Code na entrada da festa foi tomada porque o código poderia gerar problemas na leitura. A opção então foi fazer com que todos entrassem por ordem alfabética. “Mesmo com esse problema conseguimos colocar 800 pessoas dentro da festa em 15 minutos. Com isso, acabou que o bar ficou sobrecarregado e aconteceram outras filas”.

Para o produtor houve um “efeito cascata” onde um erro levou a outros erros. No entanto, ele garante que a resposta do público foi positiva. “Grande parte do evento, eu diria que 70 % das pessoas, adorou a festa mesmo com problemas. Nessa edição trabalhamos com um público diferente do que estamos acostumados porque a festa costumava ser mais intimista. Mas tivemos um erro de estratégia e depois disso fica o aprendizado”.

O produtor ainda disse que vai avaliar os comentários feitos na página do evento no Facebook para que tudo seja solucionado da melhor maneira possível.

 

 

COMENTE

Festival de cinemaDistrito Federal
comunicar erro à redação