*
 

Uma circular enviada aos batalhões da Polícia Militar com orientações sobre como os militares devem se portar na internet e nas redes sociais tem causado discórdia entre os policiais militares. O comunicado ressalta que alguns têm confundido o direito constitucional de liberdade de expressão com “ofensas à hierarquia, à disciplina, à ética, à moral e aos bons costumes”.

O comunicado, assinado pelo coronel Alexandre Ferro, chefe do Centro de Inteligência, é datado de 5 de setembro. Contudo, alguns comandantes só receberam a circular nesta semana. O oficial chama a atenção para os colegas que tecem comentários contra a corporação, seus superiores, subordinados ou contra o próprio serviço policial militar.

 

“Não temos liberdade de expressão”, disse um militar, que não quis se identificar. “Denúncias sobre os coletes vencidos, críticas sobre o estado das viaturas e dos batalhões não são bem vistas por aqui”, contou outro PM à reportagem.

As recomendações estão elencadas na Portaria nº 986, de 17 de novembro de 2015. Caso sejam desrespeitadas as normas, a corregedoria da PMDF vai apurar e responsabilizar o policial sob o aspecto ético-disciplinar, criminal e cível, de acordo com o caso.

Segundo a comunicação social da Polícia Militar, a portaria estabelece orientações e “elenca um compêndio de infrações que se encontram na Constituição e em nossos regulamentos, não existe punição específica nesta portaria e sim recomendações”. A corporação afirmou que não faz monitoramento, só age após o recebimento de denúncias.

 

 

COMENTE

internetPMDFredes sociais
comunicar erro à redação