*
 

O fim de semana foi violento no Distrito Federal. Entre sexta-feira (7/10) e domingo (9), foram registrados pela Polícia Civil 10 homicídios e 13 tentativas de assassinato. As mortes ocorreram em Brazlândia, no Gama, no Riacho Fundo, em Sobradinho, no Paranoá, em São Sebastião e no Setor de Clubes Norte.

No acumulado dois oito primeiros meses de agosto, segundo o último balanço da Secretaria de Segurança Pública, foram 399 homicídios. Os números refletem a sensação de insegurança vivida pelos brasilienses que vivenciam um das maiores crises na segurança pública.

No último sábado (8), uma suposta briga entre mulheres terminou com uma morte durante uma festa no barco Lake Palace. O policial federal Ricardo Matias Rodrigues, 44 anos, matou Cláudio Muller Moreira, funcionário da área de tecnologia da informação do Banco do Brasil. Uma outra vítima, identificada com Fábio da Cunha, 37, foi socorrida em situação estável, passou por cirurgia e não corre risco de morte. O caso é investigado pela 5ª Delegacia de Polícia (área central).

Ao Metrópoles, a secretária de Segurança, Márcia de Alencar, explicou que dos 10 homicídios, quatro já têm autoria conhecida e que o governo busca aumentar a sensação de segurança para a população.

“No acumulado do ano, registramos redução nos índices de homicídios, se comparado com 2015. No DF, contamos com o trabalho exemplar da Polícia Civil, que é referência nacional. A Polícia Militar também vem intensificando o policiamento nas regiões administrativas”, disse.

A chefe da pasta disse que a Operação Legalidade, da Polícia Civil, não prejudicou as apurações de crimes violentos. “A Polícia Civil continua atuando. As operações Drácon (que investiga suposto esquema de corrupção na Câmara Legislativa) e Mr. Hyde (que têm como alvos empresas de órteses, próteses, médicos e hospitais) estão aí para provar”, ressaltou.

De 1º de setembro até dia 26, foram contabilizados 3.735 crimes no Distrito Federal, mais do que o dobro registrado no mesmo período do ano passado: 1.463, segundo o balanço feito pelo sindicato da Polícia Civil (Sinpol).

 

 

COMENTE

homicídioViolênciaPCDF
comunicar erro à redação