*
 

Policiais civis da 24ª Delegacia de Polícia (Ceilândia) encontraram, na manhã desta segunda-feira (12/9), os corpos de um homem de 34 anos e de uma mulher de aproximadamente 30 anos, na QNO 5. Eles foram ao local após receberem denúncia de desaparecimento dos dois. A suspeita é de homicídio seguido de suicídio.

A pessoa que fez a denúncia na 24ª DP é irmão do homem encontrado morto e cunhado da mulher. Segundo eles, o casal estava desaparecido desde o dia 9 de setembro. Ele informou que tentou entrar em contato com ambos, por telefone, mas não obteve êxito. Estranhou o fato de o carro do irmão estar em frente à residência em que o casal reside, o que era incomum, pois tinha sempre o hábito de guardá-lo na garagem.

Uma equipe da 24ª DP compareceu até o local e encontrou os corpos do casal. Familiares não sabem informar nenhum motivo para o homicídio seguido de suicídio. Eles relatam que nunca se teve notícias de violência doméstica envolvendo o casal. A 24ª DP investiga o caso.

Violência doméstica
Ceilândia é a região administrativa do DF com maior número de registros de ocorrências de violência doméstica. Nos seis primeiros meses deste ano, foram registrados 6.855 casos com base na Lei Maria da Penha, sendo 17,2% na cidade. Planaltina, com 7,9%, e Samambaia, com 7%, vêm em seguida. Segundo a Secretaria de Segurança Pública e da Paz Social, os dados são absolutos e não permitem afirmar que essas regiões administrativas são mais violentas do que outras.

De acordo com a pasta, 30,22% das ocorrências são relacionadas a ameaças sofridas pelas vítimas. Já a injúria aparece relacionada em 28,72% dos registros feitos nas delegacias do DF. Na maior parte das ocorrências, há outros dois ou três crimes associados à Lei Maria da Penha.

Feminicídio
O levantamento mais recente da Secretaria de Segurança aponta que, de janeiro a junho deste ano, foram registradas 11 ocorrências de feminicídio no Distrito Federal. O crime é uma modalidade de homicídio qualificado cometido contra a mulher, seja por discriminação à condição de ser mulher ou por violência doméstica e familiar.

Aguarde mais informações

 

 

COMENTE

Ceilândiaassassinato
comunicar erro à redação