*
 

Com suspeita de meningite, o assistente social Linniker Corado, 28 anos, fez uma peregrinação por cinco Unidades de Saúde do Distrito Federal entre a tarde de segunda-feira (22/5) e a madrugada de terça (23). Mas só após 11 horas e 40 minutos ele conseguiu atendimento e diagnóstico: estava, na verdade, com dengue.

O martírio começou às 13h, na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Núcleo Bandeirante, e terminou à 0h40, no Hospital Regional do Guará. A busca por atendimento passou também pelo Posto de Saúde do Riacho Fundo I. No local ele foi encaminhado ao Hospital Regional da Asa Norte (Hran).

Linniker permaneceu na Unidade do Plano Piloto das 15h às 21h, mas não conseguiu ser atendido. “Disseram-me que havia um médico para 90 internados e um para cuidar de idosos e crianças. Estava me sentindo muito mal, com dores no corpo e na cabeça. A suspeita era de meningite”, disse o jovem.

Do Hran, Kinniker dirigiu-se ao Hospital de Base, que não oferecia atendimento clínico. Por fim, procurou o Hospital Regional do Guará para atendimento no pronto-socorro.

Descrença total nesse sistema de saúde. Recebi a pulseira laranja, que na verdade é branca escrito ‘laranja’. Ela indica que deveria ser atendido em até 10 minutos"
Linniker Corado, assistente social

No Guará, conseguiu o atendimento à 0h40. Após os exames que descartaram meningite, o diagnóstico: dengue. Acionada para comentar o caso, a Secretaria de Saúde enviou nota na qual relatou a busca por atendimento, mas não se posicionou sobre o por quê da demora.

Confira a íntegra da nota

“A Secretaria de Saúde informa que não houve o registro de atendimento, ou acolhimento, do paciente L.A.C. na Unidade de Pronto Atendimento Núcleo Bandeirante. Ele foi atendido na Unidade Básica de Saúde nº 3 do Riacho Fundo I, onde recebeu encaminhamento para atendimento hospitalar para investigar cefaleia e cervicalgia. Não houve qualquer menção a suspeita de meningite.

O Hospital Regional da Asa Norte informa que ​dois médicos atenderam as emergências, Box de Emergência e aos 72 pacientes internados na tarde e noite desta segunda-feira (22). O atendimento aos pacientes que chegavam está restrito aos casos classificados como graves.

O paciente L.A.C. foi acolhido no Hran às 15h43, recebeu classificação de risco e foi orientado a aguardar o chamado médico. O paciente deu entrada no Hospital Regional do Guará, por volta de 22h55 e aguarda atendimento no pronto-socorro.”

 

 

COMENTE

Secretaria de Saúdehospital de baseHran#Falta de atendimentofalta de médicoUPA núcleo bandeiranteposto de saúde do riacho fundo
comunicar erro à redação