*
 

Sensação de alegria, leveza, bem-estar e brilho nos olhos. É assim que ficam os pacientes do Hospital de Apoio de Brasília (HAB) nas tardes das quintas-feiras. Nestes dias, a unidade recebe a visita dos animais que fazem parte do projeto conhecido como Pet Terapia.

Iniciada neste mês, a implementação da terapia assistida por animais se deu a partir da ideia da veterinária e voluntária na Associação de Voluntários do Hospital de Apoio de Brasília (AVHAB), Nayara Marodin. Segundo ela, o objetivo é ajudar na recuperação de quem está internado na unidade.

“Trata-se de um projeto completamente inovador para um hospital, porque, quando as pessoas pensam num animal dentro do ambiente hospitalar, acham que pode haver risco de doença, mas os cães que fazem parte das visitas passam por uma avaliação veterinária rigorosa. Existem estudos que comprovam que os animais podem trazer diversos benefícios à saúde, como aumento da autoestima, além de redução da dor, ansiedade e depressão”, esclarece a veterinária.

A auxiliar de serviços gerais Francisca Rosilene é mãe do adolescente Eduardo Robson, que está no hospital há dois meses, recebendo tratamento de fisioterapia para tentar recuperar o movimento dos braços e das pernas. Ela revela que o projeto de visita com os cães proporcionou a oportunidade de ver o filho sorrir novamente.

“É a segunda vez que meu filho recebe a visita dos cãezinhos e, desde a primeira vez, ele ficou maravilhado com a presença deles. Desde então, ele ficava me perguntando quando seria a próxima visita. Fiquei contente de ver meu filho sorrindo, porque nem sempre é fácil ser feliz dentro de um hospital”, conta Francisca.

O lavador Antônio Ribeiro está internado há três meses no HAB e recebe tratamento de fisioterapia e fonoaudiologia por ter a Síndrome de Guillain-Barré. Ele sempre gostou de animais e afirma que a visita o deixou feliz. A esposa do paciente, Lecilda Ribeiro, diz que a presença dos cachorros ajudou a deixar o dia melhor.

“Como os animais são muito carinhosos, eles permitiram que meu marido tocasse neles e isso ajuda no tratamento que já realiza aqui no hospital, pois o incentiva a se movimentar. Trazer os animais aqui foi uma excelente ideia”, confessa Lecilda.

Trabalho voluntário
A servidora aposentada Márcia Brea é voluntária e dona da cadelinha que foi a pioneira do projeto, a lhasa apso, Millie, de dois anos. Ela conta que se sente realizada ao poder contribuir no aumento do bem-estar dos pacientes e familiares do HAB.

“Como a Millie é pequena, o trabalho que realizamos por meio dela é a transferência de afetividade, ou seja, o aspecto emocional dos pacientes. Normalmente, os que passaram por algum procedimento cirúrgico, conseguem se acalmar devido à receptividade dela em receber carinho. É gratificante ver este trabalho, porque é possível ver o como é intensa a interação entre as pessoas e os animais e, para mim, é maravilhoso poder ver de perto como o paciente estava antes da visita e após a saída dos cachorrinhos do quarto”, declara.

Como funciona
A terapia assistida por animais acontece uma vez por semana, sempre às quintas-feiras, a partir da 15h30. Cada visita conta com a presença de dois animais sempre acompanhados dos donos, além de alguns voluntários da Associação de Voluntários do Hospital de Apoio de Brasília (AVHAB) que são responsáveis pela abordagem dos pacientes para saber se desejam ou não receber a visita da Pet Terapia.

Atualmente, o Hospital de Apoio é a única unidade no Distrito Federal que oferece este tipo de tratamento à população. A terapia é direcionada de acordo com a necessidade de cada ala e a indicação do tratamento mais adequado é feita em parceria com a equipe de fonoaudiologia e fisioterapia.

O fonoaudiólogo André Pessoa é um dos profissionais que compõem a equipe médica voluntária no projeto. Ele explica que a terapia com animais faz parte de um processo do HAB que tem o intuito de oferecer tratamentos cada vez mais humanizados aos pacientes.

“A Pet Terapia proporciona um momento de convivência e experiência sensorial para os pacientes em reabilitação. O objetivo deste tratamento é oferecer mais conforto e acolhimento, porque quando se sentem mais felizes o resultado do tratamento é mais positivo e rápido”, aponta André.

Projeto trata o tema
O deputado distrital Cristiano Araújo (PSD) é autor do Projeto de Lei 773/2015 que dispõe sobre as condições e os locais específicos para visitação de animais domésticos e de estimação em hospitais do DF.

“Não são poucos os estudos científicos que relacionam o animal de estimação com a melhora de crianças e adultos, vítimas de distúrbios de comportamento ou de doenças graves. Pesquisas mostram que animais de estimação trazem, de fato, benefícios para a saúde”, defende, no texto, o distrital.

(Com informações da Agência Saúde)

 

 

COMENTE

animais de estimaçãoHospital de Apoio de Brasíliaterapiaprojeto Pet terapia
comunicar erro à redação