*
 

Um professor de 56 anos deixou de dar aulas em uma escola pública na Asa Sul porque teria enviado um vídeo pornográfico a uma aluna. Em nota, a Secretaria de Estado de Educação do Distrito Federal informou que o docente solicitou o próprio afastamento e responderá a processo administrativo.

A estudante teria ficado assustada com o comportamento do professor e o denunciado à direção do colégio. Ele teria assediado a aluna com mensagens, imagens eróticas e um vídeo pornográgico, além de oferecer presentes. Os pais da adolescente registraram ocorrência na Delegacia Especial de Atendimento à Mulher (Deam). Procurada pelo Metrópoles, a delegada responsável disse que só poderia dar detalhes sobre o casa na semana que vem.

Segundo a secretaria, a orientação dada pelo órgão à escola nesse tipo de situação é que o diretor escute a vítima e o acusado sobre o ocorrido antes de comunicar o ocorrido à família e à Coordenação Regional de Ensino (CRE). A CRE é a responsável por apurar a denúncia e encaminhá-la à Corregedoria da Secretaria de Educação para abertura do Processo Administrativo Disciplinar (PAD).

Como o caso é de assédio sexual, o PAD foi instaurado imediatamente, assim como o afastamento do servidor até a conclusão do processo.

 

 

COMENTE

feminismoDeam
comunicar erro à redação