*
 

O Diário Oficial do Distrito Federal desta sexta-feira (16/9) trouxe uma minirreforma administrativa no núcleo de comando do Palácio do Buriti. Foi criada a Secretaria das Cidades, o que permitiu ao governador Rodrigo Rollemberg (PSB) esvaziar as atribuições da Vice-Governadoria, que até então tinha a gestão das 31 regiões administrativas do DF. Marcos Dantas, do mesmo partido de Rollemberg, assume a nova pasta, minando o poder do vice Renato Santana (PSD).

As relações entre Rollemberg e Santana nunca foram boas. Mas a tensão chegou a um nível extremo recentemente, com o vazamento dos áudios feitos pela presidente do SindSaúde, Marli Rodrigues. Nas conversas que a sindicalista manteve com o vice, ele faz críticas ao número um do Buriti e insinua que há corrupção nas entranhas do governo local. Agora, o socialista apresentou a fatura pelo desgaste político causado pelo seu companheiro de chapa.

Dantas era, até então, secretário de Mobilidade. A pasta, agora, será ocupada pelo adjunto, Fábio Ney Damasceno. As mudanças, feitas por decretos, alteram ainda a estrutura da Casa Civil, dando mais atribuições a Sérgio Sampaio.

Administrações regionais
De acordo com o GDF, a secretaria recém-criada será responsável pela coordenação e pela supervisão das administrações regionais. Até então responsável pela interlocução das administrações regionais, a Subsecretaria de Gestão das Cidades, da Vice-Governadoria, foi extinta. O governador deu o tom da importância da mudança: “Essa secretaria deve ser os olhos, braços, pernas e coração do governo.”

A partir de agora, as 31 administrações regionais estão vinculadas à Secretaria das Cidades, que buscará maior eficiência nas relações. O secretário e sua equipe terão de promover e organizar a participação social nas regiões administrativas, racionalizar e aperfeiçoar o funcionamento delas, planejar e integrar ações regionais de governo, coordenar projetos executados pelas administrações, entre outras atividades.

Entre as atribuições das administrações regionais estão a aprovação e o licenciamento de projetos arquitetônicos de habitações unifamiliares, planos de ocupação de condomínios, tapumes e canteiros de obra e pequenas intervenções e reformas em áreas públicas. A Secretaria de Gestão do Território e Habitação fica responsável por explicar os limites de acordo com as normas de uso e ocupação do solo.

“Tudo foi feito por remanejamento de cargos existentes em outras áreas de governo, sem acarretar aumento de custos”, disse Sérgio Sampaio. “A ideia é fazer uma articulação das demandas que chegam das administrações regionais”, acrescentou. “O secretário vai encaminhá-las e cobrar a execução de projetos pelo governo. Teremos alguém com olhar exclusivo para as regiões administrativas.”

Rollemberg não perdeu tempo e nesta sexta mesmo assinou os termos de posse da nova equipe. Também foram investidos nos cargos os secretários adjuntos das Cidades, Roosevelt Vilela, e de Mobilidade, Dênis Soares. (Com informações da Agência Brasília)

 

 

COMENTE

rollembergRenato Santana
comunicar erro à redação