*
 

A justificativa do secretário-adjunto de Turismo, Jaime Recena, de que viajou para Las Vegas com o “objetivo de valorizar Brasília como destino turístico”, ignorou recomendação do próprio GDF. Em 17 de fevereiro, um decreto do governador Rodrigo Rollemberg (PSB) publicado no Diário Oficial do DF (DODF) proibia gastos com viagens.

Com o objetivo de racionalizar e controlar as despesas da administração pública, o decreto era taxativo: “Fica vedada aos órgãos da administração direta, às autarquias e fundações públicas e às empresas dependentes a assunção de compromissos que impliquem gastos com as seguintes despesas: diárias de viagem; aquisição de passagens aéreas; participação em cursos, congressos, seminários e eventos afins”.

Ainda assim, Recena embarcou para os Estados Unidos nesta terça-feira (11/10) e passará 10 dias em viagem para acompanhar uma apresentação da Red Bull Air Race, show aéreo de acrobacias feitas por aviões de pequeno porte. O secretário também participará da feira IMex America 2016, voltada para o segmento do turismo.

DODF/Reprodução

Além de Recena, duas funcionárias da pasta o acompanham na incursão ao exterior: a chefe da Unidade de Captação de Eventos, Mariana Lopes Braga; e a servidora comissionada Marina Martins de Toledo. Marina é a namorada do secretário.

O Governo de Brasília vai desembolsar R$ 32.705,90 — R$ 14.480,33 em passagens e R$ 18.225,57 em diárias para Jaime Recena e Mariana. No caso de Marina, a servidora arcou com os custos da viagem.

 

 

COMENTE

Las VegasJaime Recenared bull
comunicar erro à redação