*
 

O advogado da deputada Liliane Roriz (PTB) entregou, nesta segunda-feira (12/9), à Corregedoria da Câmara Legislativa, sua defesa prévia no processo de cassação a que responde na Casa. O documento de 69 páginas foi protocolado um dia antes do prazo regimental a que ela tinha direito e, agora, será analisado pelo corregedor da CLDF, o distrital Rafael Prudente (PMDB).

O pedido de cassação do mandato de Liliane foi uma iniciativa da ONG Adote um Distrital, que ingressou com a ação popular no início do ano. O documento se embasava na condenação da deputada e de outros integrantes do clã Roriz que são acusados de terem recebido apartamentos em um prédio de Águas Claras como pagamento por facilidades concedidas em empréstimos realizados pelo Banco de Brasília (BRB) para a construtora WRJ. O esquema teria sido consumado em 2006, ano em que Joaquim Roriz ainda governava o Distrito Federal.

Veja a íntegra da Defesa de Liliane:

Defesa de Liliane Roriz à Corregedoria CLDF by Metropoles on Scribd

Liliane e outros integrantes do clã Roriz — o pai dela, as irmãs Jaqueline e Weslliane, além do sobrinho Rodrigo, filho de Jaqueline — foram condenados em primeira instância pelo caso. Em 17 de agosto, após dois desembargadores da 5ª Turma Cível do Tribunal de Justiça do DF e Territórios (TJDFT) votarem contra recurso da defesa do ex-governador, a sessão foi suspensa. Será preciso um novo julgamento, com a participação de cinco magistrados da Turma, para confirmar a sentença. No entanto, ainda não há data para o julgamento.

Crise dos grampos 
Além dos processos que correm na Justiça, Liliane Roriz também é responsável por fazer gravações que mostram conversas entre parlamentares que compõem a mesa diretora da Câmara. A suspeita é de que o grupo, que também teria recebido auxilio de servidores, negociava a cobrança de propina para fazer repasses a empresas que prestam serviços para a Secretaria de Saúde.

Diante do escândalo, o presidente regional do PSOL, Antônio Carlos de Andrade, o Toninho, e a ex-deputada distrital Maria José Maninha, do mesmo partido, protocolaram na Câmara Legislativa um pedido de investigação e cassação dos deputados envolvidos no Bonde da Propina da Casa. O registro feito na sexta (26) é a segunda representação que chega à Casa contra os envolvidos no esquema que derrubou esta semana toda a Mesa Diretora.

 

 

COMENTE

comunicar erro à redação