*
 

O afastamento político entre o presidente da Câmara Legislativa, Joe Valle (PDT), e o governador Rodrigo Rollemberg (PSB) pode explicar a exoneração de 27 comissionados que estavam lotados em agências do Trabalhador e em outras áreas da Secretaria do Trabalho, Desenvolvimento Social, Mulheres, Igualdade Racial e Direitos Humanos (Sedestmidh). As indicações da pasta eram do PDT de Joe, que esteve à frente da supersecretaria entre outubro de 2015 e agosto de 2016.

Foram trocados gerentes e assessores das agências de Samambaia, P Sul, Itapoã, Santa Maria, Gama, Guará, Estrutural, São Sebastião, Plano Piloto, Planaltina, Recanto das Emas, Riacho Fundo e Candangolândia. Além deles, deixaram a secretaria assessores especiais e gerentes de outras áreas da Sedestmidh. Para cada exonerado, o governo nomeou um novo comissionado.

As exonerações foram publicadas na edição do Diário Oficial do Distrito Federal (DODF) desta segunda-feira (11/9). Elas ocorrem ao mesmo tempo em que ocorre uma quebra na aliança do PDT com Rollemberg.

O principal motivo seria a movimentação para as eleições de 2018. O partido pretende anunciar a saída da base de apoio do governador para garantir candidatura própria no ano que vem. A aposta política é de que Joe Valle seja o escolhido para uma disputa em lado oposto ao do atual ocupante do Palácio do Buriti.

Gabriel Jabur/Agência Brasília

Joe Valle durante inauguração quando era o titular da supersecretaria do GDF: aliados demitidos nesta segunda-feira

 

A supersecretaria foi criada em 2015 para abranger quatro pastas. Joe deixou a Câmara Legislativa para assumir o cargo de secretário da Sedestmidh e deu ao PDT a maior parte dos cargos disponíveis. Voltou à CLDF em agosto de 2016 de olho na disputa à presidente do Legislativo brasiliense: foi eleito em janeiro deste ano.

Além de Joe, o PDT-DF é representado na CLDF pelo distrital Reginaldo Veras, que tem se posicionado contra o projeto de reforma da previdência proposto pelo Executivo. Entre os exonerados desta segunda, havia comissionados indicados por Veras, especialmente os das agências do Trabalhador.

Sem diálogo
A decisão do governo de dispensar quase 30 indicados pedetistas irritou o comando do partido no DF. O presidente local da legenda, George Michel, disse que nem a sigla nem os comissionados foram avisados das exonerações.

Talvez o governador esteja nos afastando do governo e de uma possível coligação. Demitindo os nossos companheiros, impossibilita até o diálogo."
George Michel, presidente do PDT-DF

Para ele, o comportamento do GDF tem relação direta também com o posicionamento contrário do partido ao projeto de reformulação da Previdência do funcionalismo público distrital. “Fizemos isso (assumir posição contrária ao projeto) porque queremos defender não só o direito do trabalhador como ter uma participação efetiva na elaboração da reforma”, justificou George Michel. Sobre as negociações para 2018, ele primeiro despistou, mas depois resumiu: “Assim como todos os partidos fazem, há contatos políticos (em andamento)”.

A assessoria de imprensa de Joe Valle disse que “nenhuma das exonerações estava relacionada ao deputado”. Também por meio de assessores, Reginaldo Veras disse que o parlamentar não comentaria o assunto.

Procurado, o GDF não havia respondido aos questionamentos do Metrópoles sobre as exonerações até a publicação desta matéria.

 

 

COMENTE

GDFPDTeleições 2018cargos comissionadossedestmidhagências do Trabalhador
comunicar erro à redação