*
 

O Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (TJDFT) negou recurso das irmãs Claudia Maria Pereira Osório e Cristiana Maria Pereira Osório e confirmou que ambas serão submetidas a júri popular. Elas são acusadas de serem as mandantes do assassinato do tenente-coronel do Exército Sérgio Murillo de Almeida Cerqueira Filho, em maio de 2015. Cristiana era a esposa da vítima.

Claudia e Cristiana Osório serão julgadas por homicídio duplamente qualificado, por motivo torpe e com recurso que dificultou a defesa da vítima. O Tribunal do Júri de São Sebastião já havia determinado a realização de um julgamento popular, mas as rés recorreram, alegando que faltam indícios de que elas foram as mandantes ou participaram do homicídio do militar.

No entanto, o desembargador relator do caso entendeu que por meio do depoimento de Cláudia, “conclui-se que há indícios suficientes de que ela teve participação efetiva no delito em análise”. O entendimento do magistrado também atinge a denunciada Cristiana, conforme depoimento de testemunhas.

O desembargador acrescenta ainda: “Os depoimentos (…) fornecem indícios de que o crime tenha sido praticado mediante a promessa de pagamentos aos executores em razão da irresignação da denunciada Cristiana com o pedido de divórcio, a qual pretendia ainda obter vantagens financeiras com a morte da vítima”.

Assim, os desembargadores da Terceira Turma Criminal do TJDFT seguiram o voto do relator e determinaram a realização de júri popular. Outros quatro réus, apontados como executores do assassinato, respondem em processo separado pelos crimes de homicídio mediante promessa de recompensa e subtração de bens da vítima.

São eles Leandro Ceciliano, Rodrigo Costa, Jorge Alencar e Lorena Karen. Todos os acusados aguardam julgamento presos preventivamente.

Crime
De acordo com as investigações, o crime ocorreu por volta das 21h50, na quadra 208 da Asa Norte, enquanto a vítima e a suposta mandante do crime Cristiana Maria entravam no carro. Os executores simularam um roubo e ordenaram que o tenente-coronel fosse para o banco de trás.

Em seguida, fugiram do local rumo a São Sebastião com a vítima, deixando a mulher. Ao chegarem no Núcleo Rural Aguilhada, Zona Rural de São Sebastião, os quatro denunciados tiraram a vítima do veículo e o Leandro Ceciliano teria matado o militar com um tiro na nuca. (Com informações do TJDFT)

 

 

COMENTE

TJDFThomicídioSérgio Murillo de Almeida Cerqueira Filho#Júri Populartenente-coronelCristiana Maria Pereira Osório
comunicar erro à redação