*
 

Uma mulher foi agredida, na noite de sábado (7/5), durante o Festival Villa Mix, realizado no estacionamento do Estádio Mané Garrincha. De acordo com a publicitária Yara de Abreu, 26 anos, um homem a atacou com chutes e socos durante o evento, depois que ela separou uma confusão em que o suspeito estava envolvido. Por conta da briga, a jovem precisou levar cinco pontos no rosto. A esposa dela também teria sido agredida.

Yara conta que aproveitava o evento com amigos quando presenciou o momento em que o suposto agressor teria jogado um copo de cerveja em uma mulher que passava ao seu lado. A moça, então, teria reclamado com o suspeito, que estava acompanhado de duas jovens. Nesse momento, a confusão teve início.

A publicitária e os amigos teriam tentado apaziguar a briga e separar os envolvidos. Com os ânimos mais calmos e o tumulto, em teoria, resolvido, eles foram para outra área da festa. Alguns minutos depois, Yara e a esposa decidiram ir ao banheiro e, nesse momento, foram agredidas.

“Enquanto caminhávamos, o homem que tinha jogado o copo de cerveja na mulher começou a apontar para a gente e a nos xingar. De repente, a minha esposa se virou para falar comigo e viu que ele se aproximava, vinha me agredir. Então, ela se meteu na minha frente, e ele a jogou no chão. Enquanto eu socorria minha esposa, ele chutou a minha cabeça e o sangue começou a jorrar”, contou Yara ao Metrópoles.

A publicitária afirma que, após a primeira agressão, o homem continuou a desferir socos contra ela. Já a esposa estaria sendo atacada por uma das mulheres que acompanhava o suspeito. A confusão só se desfez depois que os amigos das vítimas começaram a gritar por ajuda. No entanto, Yara afirma que não recebeu muito apoio da organização do evento.

“Tentamos acionar os seguranças, mas eles disseram que não podiam sair do ponto fixo onde estavam. Eu fui até o posto médico, mas eles não tinham o material para fazer o curativo necessário. Ainda disseram que eu devia ir ao hospital por conta própria porque as ambulâncias do evento só poderiam ser utilizadas para casos mais graves”, disse a jovem.

Yara chegou a sair da festa para procurar um Uber que a levasse ao hospital. No entanto, foi orientada por um policial militar a retornar porque os organizadores seriam responsáveis pelo transporte à unidade de saúde. “Quando eu voltei, uma das enfermeiras que tinha me atendido viu uma ambulância saindo com outra pessoa e perguntou se eu não queria ir junto. Então, aceitei”, explica.

Encaminhada ao Hospital de Base, Yara levou cinco pontos na face e ainda sente as consequências da agressão: “Dói muito. Sempre que preciso mexer meu rosto, nem que seja para piscar ou mastigar, sinto dores”, afirma. A publicitária não sabe a identidade do suposto agressor, mas registrou ocorrência na 5ª Delegacia de Polícia (região central do Plano Piloto).

A jovem fez ainda uma postagem no Facebook denunciando a agressão. “Não fui a primeira a ser agredida por ele e, sem dúvida, se não o encontrarmos e levá-lo para responder por suas atitudes não serei a última”, diz o texto.

O Metrópoles acionou a Polícia Civil e a assessoria do Festival Villa Mix. No entanto, até a última atualização desta reportagem, nenhuma das duas havia se posicionado.

 

 

COMENTE

agressãofestival villa mixYara de Abreu
comunicar erro à redação