*
 

O caos na gestão dos recursos públicos no Distrito Federal não atinge apenas a área de saúde, onde falta dinheiro até para o combustível das ambulâncias. Beneficiários do programa DF Sem Miséria estão há meses sem receber o auxílio, previsto para famílias com renda per capita abaixo de R$ 140. Segundo o próprio GDF, não há recursos para o pagamento do benefício nem prazo para que a situação seja normalizada.

A Secretaria do Trabalho, Desenvolvimento Social, Mulheres, Igualdade Racial e Direitos Humanos (Sedestmidh) reconhece que há atraso nos pagamentos referentes aos meses de fevereiro, março e outubro deste ano. No total, são R$ 27 milhões que deveriam ter sido pagos a 62 mil famílias pelas três parcelas, de acordo com a pasta.

O motivo seria a falta de recursos. “O pagamento de cada parcela será efetuado assim que houver disponibilidade financeira”, informou a Sedestmidh por meio de nota.

Enquanto isso, as famílias beneficiadas passam apuros, sem dinheiro para comprar comida e medicamentos, por exemplo. É o caso de Roseli Cruz de Souza, 36 anos. A moradora de Planaltina está desempregada e necessita do auxílio para criar os três filhos.

“A quantia é importante para comprar comida, lanche das crianças, material escolar”, relata. Segundo ela, o benefício não é depositado há três meses, além das parcelas de fevereiro e março que até hoje estão atrasadas.

O DF Sem Miséria é uma complementação do Bolsa Família para as famílias que, mesmo recebendo o auxílio federal, não atingiram a média de R$140 per capita. O programa complementa a renda dos beneficiários para que cheguem a esse valor. Assim, cada inscrito recebe uma quantia entre R$ 20 e R$ 800. O dinheiro para pagamento das parcelas sai dos cofres do Governo do Distrito Federal.

 

 

 

COMENTE

sedestmidhDF Sem Miséria
comunicar erro à redação