*
 

A operadora Claro tem a internet móvel 4G mais rápida do Distrito Federal, de acordo com dados da consultoria OpenSignal. A velocidade de download oferecida pela rede da companhia é, em média, de 27.53 Mbps, 25% mais veloz que a conexão da Vivo, que aparece em segundo lugar no ranking, com 20.63 Mbps. Logo em seguida estão a Oi, com 14.86 Mbps, e a Tim, com 12.33 Mbps.

Quando o assunto é a velocidade de upload, há uma mudança na lista. Quem surge na ponta é a Vivo, com 5.49 Mbps, à frente da Claro, que entrega 4.62 Mbps. Oi e Tim vêm atrás, com 4.59 Mbps e 3.98 Mbps, respectivamente.

A consultoria avaliou também a latência das operadoras, dado que calcula o tempo de resposta que um pacote de dados demora para ir de um ponto a outro dentro das redes. Nesse caso, quanto menor a latência, que é medida em milissegundos (ms), mais rápida é a conexão. Segundo o levantamento da OpenSignal, a Oi é a empresa que apresentou melhores resultados nessa métrica. O sinal da companhia anotou 43ms, em média, dentro da região do DF. Em segundo lugar aparece a Vivo, com 74ms; a Claro, com 92ms; e a Tim, com 98ms.

Segundo a Agência Nacional de Telecomunicações, a Claro é a operadora com maior número de usuários no Distrito Federal, com 38,60% dos usuários de telefonia móvel. A Vivo aparece em segundo lugar com 24,10%, à frente da Tim (20,10%) e da Oi (17,20%).

Quando analisada a base de assinantes de todo o país, a Vivo mantém a dianteira (30,81%), seguida da Tim (26,48%), da Claro (25,12%) e da Oi (17,60%). Segundo a diretora regional da Claro Centro-Oeste, Soraia Tupinambá, a marca tem investido constantemente em infraestrutura de sistemas e expansão das redes 3G e 4G, para atender ao crescimento urbano e rural do Distrito Federal e Entorno.

Reprodução

Mapa mostra a situação da cobertura no DF. Clique e veja como está o sinal em sua região

 

“A qualidade de rede é constantemente comprovada por órgãos regulatórios e entidades reconhecidas internacionalmente que acompanham o desempenho do setor”, destaca. A diretora ressalta que a estratégia de investimento traçada pela companhia tem gerado resultado, principalmente no Centro-Oeste. Ao longo de 2016, a operadora foi a única empresa a ganhar mercado no pós-pago na região, com crescimento de 2,58 pontos percentuais, detendo 30,40% de participação no segmento, que é o mais lucrativo para as empresas.

A Vivo afirmou que tem focado esforços para aprimorar a conectividade e melhorar a estabilidade de sua rede. No triênio 2017-2019, a empresa pretende investir R$ 24 bilhões em todo o país (excluindo eventuais investimentos em licenças), principalmente para a expansão da cobertura 4G e na ampliação da rede de fibra. “Atualmente, mais de 36% da base de clientes da Vivo no DF é 4G. No Centro-Oeste, corresponde a mais de 30%”, afirmou, em nota.

4G é bom, mas o sinal…
No último mês, a OpenSignal divulgou um relatório mostrando como anda a situação da internet móvel 4G em todo o Brasil. Os dados mostraram que, por conta dos altos volumes de investimentos realizados para as Olimpíadas, o país teve um avanço perceptível na qualidade da conexão, mas ainda fica devendo, especialmente, quando se trata da disponibilidade do sinal.

“A média de velocidade 4G no país é de 19.7 Mbps, quase 2 Mbps acima da média global. No entanto, quando se trata de disponibilidade do 4G, o Brasil ainda está atrás quando comparado aos seus pares globais e sul-americanos”, diz o estudo.

Em nota, a Sinditelebrasil, entidade que representa as operadoras de telefonia no país, afirmou que o levantamento da Opensignal é realizado por meio de um aplicativo próprio e que não considera a área geográfica na qual é feita a medição. “Tal premissa indica a possibilidade de medições em áreas onde não há obrigação de atendimento ou mesmo a oferta comercial do serviço em 4G”, aponta. A tecnologia de quarta geração está presente em 1.158 municípios, nos quais vivem 66,4% da população brasileira.

 

 

COMENTE

internetcelular
comunicar erro à redação