*
 

O programa para castração de animais domésticos do governo de Brasília passará a ser feito por empresas veterinárias credenciadas. Gerido pelo Instituto Brasília Ambiental (Ibram), o serviço, gratuito para os donos de cães e gatos, será custeado pelo poder público. O investimento previsto é R$ 100 mil com verba do próprio Ibram.

As entidades interessadas em fazer as castrações podem concorrer ao credenciamento por meio de edital publicado no Diário Oficial do Distrito Federal desta sexta-feira (2/9). Fica a cargo da Coordenação de Fauna do instituto a avaliação dos pedidos e o fechamento dos contratos. “É uma forma de ampliar e descentralizar o serviço”, aponta a chefe da unidade, a veterinária Ana Nira Nunes Junqueira. Segundo ela, a única opção anteriormente era ir ao Parque Lago do Cortado, em Taguatinga, onde ficava a estrutura do Castra Móvel.

Ana Nira destaca que a prioridade é para as pessoas cadastradas em fevereiro. De acordo com levantamento feito pelo órgão, há uma fila de aproximadamente 900 animais aguardando pelo procedimento. “Entretanto, é possível que muitos já tenham feito, desistido por algum motivo ou ainda que o bicho tenha morrido”, frisa. “Assim que for zerada essa fila, esperamos abrir um novo cadastro.”

A cirurgia tem o objetivo de evitar o aumento desenfreado da quantidade de animais domésticos, contribuindo, dessa forma, para a qualidade ambiental, para a saúde pública e para o bem-estar do próprio animal. Controlando a superpopulação de cães e gatos, diminuem problemas como abandono, transmissão de doenças, acidentes e ataques a pessoas.

Os credenciamentos têm validade de 12 meses, prorrogáveis por iguais períodos, limitados ao prazo de 60 meses. As empresas veterinárias aceitas serão pagas pelo serviço em até 30 dias após a apresentação da nota fiscal. São quatro valores para os procedimentos: R$ 80 (felinos machos), R$ 90 (caninos machos), R$ 110 (felinos fêmeas) e R$ 120 (caninos fêmeas).

Castra Móvel será usado em projetos da UnB
O serviço itinerante de castração de cães e gatos, Castra Móvel, foi interrompido em 18 de abril de 2016. Em um acordo de cooperação técnica com a Universidade de Brasília (UnB), a unidade atenderá em projetos de ensino da Faculdade de Agronomia e Medicina Veterinária, sob a coordenação da professora Paula Diniz Galera. Além de contribuir para a esterilização dos animais, vai colaborar para a formação dos estudantes.

A parceria foi definida pelo Comitê Intersetorial da Política Distrital aos Animais, do qual participam diversos órgãos do governo de Brasília, como o Ibram e a Secretaria do Meio Ambiente.

“O objetivo é promover campanhas e projetos de pesquisa tendo a comunidade do Distrito Federal como beneficiária”, explica a coordenadora Ana Nira Nunes Junqueira.

O programa já teve dois formatos. No primeiro deles, em 2014, foram operados cerca de 130 animais por meio de um acordo com a UnB. Na outra modalidade, de dezembro de 2015 a abril deste ano, mais 3 mil cães e gatos passaram pelo procedimento, custeado por verba proveniente de compensação ambiental no valor de R$ 330 mil.

 

 

COMENTE

DFanimais domésticoscastração
comunicar erro à redação