*
 

Após uma série de percalços em sua batalha por um transplante de coração, Dinalva Gomes, moradora de Ceilândia com 39 anos, conseguiu na madrugada da última sexta-feira (16/9) para sábado (17/9), conseguiu um novo coração. De acordo com as equipes do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), porém, ela agora tem outro problema a ser resolvido: ela precisa de doação de sangue, de qualquer tipo.

A necessidade é urgente. Segundo o Samu divulgou à imprensa, Dona Dinalva tem que receber o sangue até 13 horas deste sábado. “Basta procurar o Hemocentro de Brasília e dizer que quer fazer a doação para a dona Dinalva!”, declarou a equipe do Samu para a imprensa.

Caso ela não receba o sangue até esse horário, é possível que ela tenha complicações decorrentes do transplante.

Dona Dinalva, como ficou conhecida, enfrentou uma situação bastante complicada nos últimos dias. Após cinco meses de espera para receber um novo coração, na semana passada ela chegou a ser avisada que haviam encontrado um coração compatível com o seu e que ela teria de ir até o hospital em, no máximo, 30 minutos, sob pena de o órgão não poder mais ser utilizado.

Foi aí que começou a sina dela e do seu marido para conseguir chegar ao hospital. A viagem que salvaria a sua vida, entretanto, foi cheia de percalços. A mulher ficou presa em um engarrafamento e, desesperada, precisou de ajuda para chegar ao destino. Quando tudo parecia resolvido, um novo problema adiou o sonho da brasiliense. Após uma pré-avaliação, os médicos concluíram que ela não teria condições de suportar a cirurgia.

Para chegar ao hospital em tempo de receber o coração, o marido de Dinalva acionou o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). O chamado inusitado mobilizou quatro motos e um veículo de intervenção médica. Parada no trânsito na parte superior do viaduto de Samambaia, sentido Taguatinga, ela foi resgatada. Com a cor, o modelo e placa do veículo, as equipes conseguiram localizá-la no meio do engarrafamento.

 

 

COMENTE

sanguetransplanteSamucoração
comunicar erro à redação