*
 

Às vezes pode parecer meio contraditório a gente defender tanto a liberdade individual na hora de criar um estilo e ficar aqui discursando e dando dicas sobre como “se vestir melhor”.

Meu argumento de defesa nessa hora é sempre o mesmo: a gente se esforça pra trabalhar bem, comer bem, falar bem, fazer tudo bem. Por que ser diferente com nosso zelo pessoal? Vamos esclarecer: não tem que se vestir bem, tá, gente? Mas é bom.

Para mim, cuidar da autoimagem é uma ferramenta superimportante. Eu trabalho com isso, então considero meu estilo um cartão de visitas. Mas acho que esse cuidado vai além do profissional. É uma questão de mostrar para o mundo um carinho com você mesma.

Dito isso, a dica de ouro pra as pessoas que buscam dar aquele up no estilo é: a perfeição mora nos detalhes. "

Às vezes, uma besteirinha de nada pode gongar totalmente seu look. Montou um outfit bafão, pesquisou modelagem ideal da calça, coordenou cores com capricho e… errou na calcinha. De costas, o bumbum tá praticamente partido pela metade, marcado pelo elástico apertado do underwear.

Engraçado, né, como a gente costuma dar pouca atenção à roupa íntima. Nos preocupamos com o que está à vista, mas o que está por baixo pode derrubar seu esforço. Na hora de comprar lingerie, vale o mesmo cuidado que temos na hora de comprar roupa, analisar modelagem, tecido e tamanho certo. Olha só:

  • Peito grande pede sustentação. Evite modelos triângulos (ou cortininha fixa), alcinha muito fina, costas e laterais sem reforço
  • Quem quer dar uma turbinada na dianteira precisa ter cuidado com o exagero no enchimento. Às vezes, só a bolha na base resolve. Ou mesmo aquele modelo com o fecho na frente, que dá efeito push-up
  • Olho na base da peça, aquela faixa que fica no tórax. Ela deve ficar ajustadinha na medida, sem apertar, mas sem ficar folgada, porque senão a parte de trás sobe e a sustentação do seio se perde
  • Roupas claras pedem peça cor-da-pele ou que causem o mesmo efeito: nudes, avelãs, pêssegos (menos quando a intenção é causar contraste. Tipo camisa branca + sutiã preto)
  • Saiba o melhor modelo de calcinha para você: lateral fininha, tipo americana, fio-dental… E sempre prove! Não há nada pior que elástico apertado fazendo “saltar” nossas gorduritchas

Depois a gente pode voltar ao assunto “perfeição” e falar de outros jeitos de “errar” por causa de besteiras: o cinto que não passou por todos os passadores, a alça da bolsa comprida demais (que dá um ar de desleixo), a barra da calça engruvinhando lá embaixo.

O que não pode faltar, gente, é aquele check-up final. Quer sair impecável, se arrumou toda, gastou seu precioso tempo se montando? Então não custa nada dar uma escaneada de frente e de costas antes de correr pro abraço.

 

 

COMENTE

moda
comunicar erro à redação