">
*
 
 

Quem nunca ouviu o parceiro ou amigo falando mal da camisinha? “É como chupar balinha com o papel”, alguns dizem. Ela pode até incomodar um ou outro, mas não há melhor forma de evitar doenças sexualmente transmissíveis.

A resistência de algumas pessoas ao uso do preservativo tem feito fabricantes inovarem cada vez mais na produção. A empresa sueca LELO anunciou este ano a fabricação de uma camisinha que se assemelha à pele de cobra e com risco mínimo de rompimento (foto acima).

A resistência vem dos 350 hexágonos ligados entre si que formam a proteção. Foram sete anos de estudos. O resultado é a promessa de que o calor do corpo do parceiro pode ser sentido, o que resulta em mais sensibilidade durante a relação sexual.

Há uma razão pela qual os favos de mel são da forma que são e as escamas das cobras se movem da maneira que se movem: é porque hexágonos são fortes e simétricos"
informa o site da LELO Hex

O pacote mais barato com 36 camisinhas e um creme hidratante custa R$ 245 reais. O produto, porém, aparece como indisponível para envio ao Brasil, atualmente. A fabricante não informou a data de lançamento, porém, divulgou que o frete para esse país será gratuito.

Veja a propaganda do novo produto.

“Cabeção”
Outro lançamento, desta vez da marca Prudence, é sugestivo: leva o nome de Cabeção. A camisinha promete mais conforto aos homens durante a relação sexual. A diferença para as tradicionais é a ponta mais larga, que evita o contato com a cabeça do pênis, permitindo e estimulando a sensibilidade durante a penetração. 

O Prudence Cabeção pode ser encontrado em farmácias e mercados, em embalagens de três unidades. Preço sugerido: (pacote com três unidades): R$ 4,50.

O que não faltam são opções de preservativos. A Prudence tem ainda as com aroma (tem de caipirinha, uva, morango, chocolate, hortelã…), com níveis diferentes de sensibilidade e até uma neon, com efeito fosforescente para quem quer brincar de Jedi. Isso mesmo, ela brilha no escuro. Basta deixar exposta à luz por alguns segundos.

Conscientização
Uma pesquisa divulgada no ano passado mostrou que quase metade da população brasileira não usa camisinha durante as relações sexuais. A Pesquisa de Conhecimentos, Atitudes e Práticas na População Brasileira (PCAP) ouviu 12 mil pessoas com idade entre 15 e 64 anos, sendo a maioria da região Sudeste. Do total, mesmo sabendo da importância da camisinha, 46% dos entrevistados revelaram não terem usado o preservativo em todas as relações casuais.

O levantamento foi divulgado pelo Ministério da Saúde com uma campanha de conscientização para o uso do preservativo. Para chamar a atenção, o Ministério criou perfis falsos em aplicativos de relacionamento com pessoas que se declaravam em busca de sexo sem camisinha. Quando encontravam interessados na proposta, os responsáveis pela campanha mandavam uma resposta de conscientização.

 

SaúdesexoBem-estar
 


COMENTE

Ler mais do blog