">
*
 
 

Estudo feito pelo Moovit, aplicativo líder em informações em transporte público no mundo, usado por mais de 60 milhões de trabalhadores em 1,5 mil cidades, mostrou uma triste realidade para o Distrito Federal: as viagens são as mais longas (15km) e, mesmo morando em uma metrópole planejada, o usuário de ônibus e metrô gasta, em média, 96 minutos (1h36min) no trajeto casa-trabalho-casa. Todo santo dia.

É o mesmo tempo médio de viagem constatado no Recife, capital pernambucana de quase 500 anos, nascida sem planejamento e famosa por seu trânsito ruim. Só para comparar: em Berlim, na Alemanha, o tempo perdido é de 62 minutos. A lista ainda conta com Rio de Janeiro (95), Salvador (94), São Paulo (93), Fortaleza (89) e Belo Horizonte (85).

Nesse quesito, Curitiba conseguiu comprovar a fama da “cidade modelo” brasileira no quesito mobilidade. O tempo médio de viagem (considerando ida e volta do trabalho) foi de 72 minutos. Porto Alegre, com 74 minutos, e Campinas, com 77 minutos, também tiveram resultados semelhantes.

Tempo de espera
A pesquisa do Moovit, além de escancarar esses preocupantes números, mostra o tempo de espera em paradas e estações, a duração e a distância média das viagens.

Foto: Vagner Vargas

No Distrito Federal, o tempo de espera em paradas e estações é 28 minutos. Em Salvador, é o ônibus ou o metrô demoram, em média, 33 minutos. Em Buenos Aires, na Argentina, é de 14 minutos.

Curitiba, de novo, apresenta um bom tempo de espera: 17 minutos. No Rio de Janeiro e em São Paulo, os usuários esperam 19 minutos.

Distância percorrida
Curitiba, Fortaleza e Porto Alegre são as cidades em que a distância média percorrida em um trajeto feito por ônibus, trem, metrô ou outro transporte público é de 7km.

Brasília tem uma média de 15km; o Rio, de 12 km. Em Belo Horizonte e Recife, a distância média é 9km; em Campinas, Salvador e São Paulo, de 8 km.

Baldeações
E em qual cidade as pessoas podem (ou precisam mesmo) trocar de linhas ou transportes para chegar ao destino? Em São Paulo, o percentual de passageiros que fazem baldeação pelo menos uma vez durante o trajeto é de 66%. Em Brasília, é de 61%.

Insatisfação
Recentemente, levantamento sobre mobilidade urbana feito em dez capitais brasileiras pela empresa Vagas.com mostrou bem a insatisfação dos trabalhadores.

Foram entrevistados 3.208 pessoas: em geral, 45% acham o uso do ônibus ruim ou péssimo (trajeto casa-trabalho, trabalho-casa). E sabe quem está pior na foto, levando-se em contas as principais capitais? Brasília, com (59% achando ônibus e metrô péssimos), seguida de Recife (57%), Salvador (49%) e Belo Horizonte (48%).

transporte públicomobilidade urbanapesquisaMoovitdistânciatempo perdido
 


COMENTE

Ler mais do blog