" />
*
 
 

Outrora, terra de meia dúzias de cervejas aguadas. Hoje, mal dá pra catalogar as centenas de opções que se oferecem ao nosso bel prazer. Que tempo para se viver! Se nos últimos anos vivemos a invasão das importadas e o surgimento de empórios e alguns pubs, parece que chegou de vez a era dos rótulos nacionais que se proliferam mais rápido do que meme do mal na internet.

A novidade da hora vem com a distribuidora Pulso, que trouxe ao afortunado povo candango preciosidades como os dois rótulos da Cervejaria Avós: uma American IPA e uma Hoppy Lager. Poucos meses atrás, numa das excursões pelo eldorado paulistano, conhecemos esses rótulos que nos abalaram gustativa e emocionalmente. As duas cervejas já fizeram parte do clube Ohmybeer e, de quebra, entrevistamos Júnior, o neto querido e proprietário da cervejaria.

A avó Maria
Quem tem uma avó querida entende a homenagem feita pelo cervejeiro Junior Bottura. O publicitário conta que começou a fazer cerveja há mais ou menos três anos, quando a cozinha de casa virou uma minifábrica. Depois de várias paneladas de IPA e muitas receitas testadas pelos amigos sortudos, ele transformou o hobby em projeto sério.

Mas, e a história das avós? É que no meio desse processo de criação da cervejaria e da marca, ele resgatou um caderno antigo com as lembranças das avós e bisavós que conheceu e das com quem ainda convive. “Vó Maria é a mãe da minha mãe. Ela mora em Taubaté. Tento mostrar a dupla personalidade dela nas receitas”, conta Júnior fazendo mistério.

Pois nós desvendamos o mistério e descobrimos tudo sobre as cervejas e, claro, sobre a vó Maria, que tem dupla personalidade.

Vo Maria PorretaPersonalidade 1 – Vó Maria, a Baixinha Porreta
Estilo: IPA
ABV: 7%
IBUs: 65

Vó Maria é uma cearense arretada que fala tudo o que pensa. Pensando nela, o cervejeiro não economizou lúpulo. A cor da cerveja passeia entre o mel e o âmbar. A espuma, bege, forma bolhas pequenas enquanto os primeiros aromas se desprendem: manga, caramelo e algo de herbáceo. Notas cítricas lembram torta de limão com uma pitada de menta.

A conclusão vem antes do primeiro gole: trata-se de uma cerveja refrescante! Equilibrado, o sabor passeia entre o frutado do maracujá e o caramelo do malte. No começo, o amargor é moderado, mas ganha um empurrãozinho extra no retrogosto prolongado. A língua sente pontadinhas picantes enquanto seca, pedindo mais.

Antes da calmaria, um gostinho de mirtilo passa como uma brisa, aliviando o calor provocado pelo álcool. Sabendo que lúpulo está para fritura assim como Romeu para Julieta, sugerimos bolinho de risoto crocante para acompanhar – combina com a cerveja e com a casa da vovó!

vó maria lado zenPersonalidade 2 – Vó Maria e Seu Lado Zen
Estilo: Hoppy Lager
ABV:4,9%
IBU: 18

Se a Vó Maria é arretada, ela também é uma mestra da meditação! Para equilibrar seu lado agitado, ligado no 220v , dona Maria, no auge dos seus 83 anos, faz três aulas de yoga por semana – três! Ela e a receita da cerveja podem até ter essa característica zen, mas nunca abandonam o amarguinho do lúpulo.

No nariz, a bebida traz aromas cítricos que lembram melão e manga. A cor dourada do líquido translúcido e a espuma branquinha adiantam o caráter refrescante desta Avó calminha. Ela é leve, amarga na medida e com uma boa base de malte. O retrogosto carrega o lúpulo nas costas, mas tudo muito equilibrado, sem nenhum ponto fora da reta.

Informação importante: apesar de ser pasteurizada, esta cerveja é muito delicada e deve ser guardada na geladeira. Entrando na linha iogue da Vó Maria, para acompanhar a degustação.

cervejas especiaisalta fermentaçãocervejaria vós
 


COMENTE

Ler mais do blog