" />
*
 
 

Ê Brasília, tão provinciana em alguns quesitos e toda moderninha em outros tantos. Para a alegria de cervejeiros, donos de bar e bebedores, a cidade sai na frente em uma inovação que vai unir tecnologia e chope. Um casamento que promete diminuir desperdícios e facilitar a vida de todo mundo – tanto quem já é apaixonado por cerveja artesanal quanto viventes que ainda não mergulharam nesse barril. Anote este nome: Brew-me.

A melhor forma de começar a explicar a Brew-me é pedindo para você, leitor, entrar no site www.brewme.com.br. Neste endereço, faça o cadastro rápido (via Facebook, se preferir) e pronto! Já fez? A partir de agora, você saberá quais chopes estão engatados em diferentes bares da cidade.

Mapa do tesouro
Funciona como uma espécie de mapa do tesouro. As mesmas informações também estão no aplicativo da Brew-me, que ainda te faz o favor de emitir um alerta sempre que um novo barril for aberto.

De acordo com Marta Ibañez, relações públicas da empresa, a plataforma facilita o acesso a rótulos artesanais (brasileiros ou não), apresenta preciosidades a bebedores leigos, tem potencial para alavancar o consumo e pode até ajudar a baratear o preço. Nós acreditamos!

A mudança de costumes, de cultura e até de legislação faz parte de um longo processo, e iniciativas desse tipo tornam o caminho um pouco mais curto. A expectativa é que até março de 2017 cerca de 200 rótulos estejam cadastrados no portal. Sim, existem mais de 200 torneiras de chope em funcionamento hoje no Distrito Federal.

Felipe Menezes/Divulgação

Geladeira inteligente
Ao lado de Marta nessa empreitada está Robinson Lucas Filho, o Zeca. Ele é o cara da tecnologia e por causa dele já existe em Brasília um sistema de autosserviço de chope. Trata-se de uma geladeira estilosa (foto acima) com espaço para armazenar dois barris. Duas torneiras são encaixadas na porta e dois tablets mostram tanto informações sobre as cervejas, quanto os preços do litro.

O consumidor se serve com a quantidade que bem entender, pode encher o copo ou só pegar uma provinha. Ele só será cobrado pelo tanto que consumir, sendo que a espuma não entra na conta. Vale deixar claro que esse software foi desenvolvido pela MyTapp, empresa de FlorianópolIs (SC) que patenteou a invenção. Em Brasília, a supergeladeira está posicionada no Barkówski, na 408 Norte.

Felipe Menezes/Metrópoles

Evitando o desperdício
Seja com geladeira inteligente ou em balcões comuns, Zeca explica que o desperdício de chope pode ser evitado se a instalação dos barris for feita da forma correta. Quem já serviu em bares ou eventos sabe que litros e mais litros de cerveja escorrem ralo abaixo ao longo de um dia movimentado.

Para sermos mais precisos, o desperdício está na ordem de 15% do total tirado. Foi por isso que Zeca fez cursos junto à Brewers Association, nos Estados Unidos. Lá aprendeu técnicas de instalação e manutenção que podem diminuir os custos para os bares e, mais uma vez, ajudar a baixar os preços salgadinhos.

Tem mais? Sim! Em breve, muito breve, teremos uma espécie de Uber cervejeiro. A Brew-me trabalha para implantar um sistema de pagamento facilitado no qual o consumidor terá debitado no cartão de crédito, de forma automática, o que for consumido no bar.

O garçom lançará os pedidos em um sistema integrado ao Brew-me e o cliente vai pagar sem precisar tirar a carteira do bolso. Sabe aquela história de ficar conferindo conta, fazendo continha com as dezenas de papéis do cartão e, invariavelmente, pagar mais do que deveria? Está com os dias contados. Aguarde!

Brew-meBarkówski
 


COMENTE

Ler mais do blog