*
 

Depois de muito mistério, o presidente Michel Temer (PMDB) explicou o motivo de não ter ficado com a família no Palácio da Alvorada. Em entrevista à revista Veja, publicada neste fim de semana, o peemedebista disse que sentiu “uma coisa estranha” na residência oficial da presidência da República: “Eu não conseguia dormir, desde a primeira noite. A energia não era boa. A Marcela sentiu a mesma coisa. Só o Michelzinho, que ficava correndo de um lado para outro, gostou. Chegamos a pensar: será que tem fantasma?”

Diante do “incômodo”, ele e a família ficaram apenas uma semana no Alvorada antes de decidirem voltar ao Jaburu, local que ocupava desde 2011, após ser eleito vice-presidente da chapa de Dilma Rousseff (PT).

As declarações de Temer surpreenderam já que, até então, seus assessores diziam apenas que a família não havia se adaptado ao Alvorada devido às grandes proporções do espaço, que era frio.

Paulo Lannes/Metrópoles

O Palácio da Alvorada passou por reformas para se adequar à nova família.  A primeira-dama, Marcela Temer, coordenou as adaptações, entre elas, redes de proteção na janela.

O local, agora, só será usado para eventos oficiais da Presidência da República.

Assim que a família presidencial retornou ao Jaburu, o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) determinou ao governo que retirasse a tela de nylon instalada na varanda do Palácio da Alvorada para evitar acidentes com o caçula de Temer

 

 

 

COMENTE

Michel TemerFantasmaPalácio do Alvorada
comunicar erro à redação