*
 

Um paciente do Pronto Socorro Agenor de Campos, em Mongaguá, no litoral de São Paulo, afirma ter sido agredido por um médico do local no último sábado (3/9). De acordo com Rodrigo Rodrigues da Silva, de 30 anos, quando precisou de atendimento, encontrou o profissional dormindo durante o expediente. Após esperar quase uma hora, resolveu jogar um balde d’água nele.

“Fiquei aguardando por cerca de 40 minutos e chamei a enfermeira, que me avisou que ele estava dormindo. Depois disso, eu peguei um balde com água, que estava na sala, entrei no consultório e o vi deitado em uma maca com um cobertor e joguei nele”, afirmou Rodrigues ao G1.

O médico, irritado, revidou com um soco no olho do paciente. “Só soltaram ele quando a polícia chegou ou ele teria me matado. Depois disso, os policiais me levaram até Pronto Socorro Vera Cruz, onde fui medicado e então prestei depoimento na delegacia sede, onde registrei um boletim de ocorrência”, disse ele à publicação.

Segundo Rodrigues, a situação é recorrente no Pronto Socorro da cidade. Nos últimos dias, por conta de um problema respiratório, precisou frequentar o local regularmente e se deparou com o mesmo problema. “Já na semana passada eu cheguei na unidade de saúde e uma enfermeira me disse que o médico estava dormindo e só iria atender caso tivessem cinco fichas na mesa dele.”

 

 

COMENTE

Violênciapronto-socorro
comunicar erro à redação