*
 

O desabafo que uma juíza do Tribunal de Justiça do Paraná fez sobre meritocracia na sua página do Facebook está repercutindo nas redes sociais. No texto, publicado na última terça-feira (30/8), Fernanda Orsomarzo diz que se esforçou muito para chegar ao cargo que ocupa atualmente, mas que, sem os privilégios a que teve acesso, como educação em colégios particulares, cursos de línguas e comida farta em casa, provavelmente nunca teria chegado onde está hoje.

“Abdiquei de festas, passei feriados em frente aos livros, perdi momentos únicos em família, Sim, o esforço pessoal contou. Mas dizer que isso é mérito meu doa, no mínimo, hipócrita”, diz. “Em primeiro lugar, nasci branca. Faço parte de uma típica família de classe média. Estudei em escola particular, frequentei cursos de inglês, informática, tive acesso a filmes e livros. Contei com pais presentes e preocupados com a minha formação. Jamais me faltou café da manhã, almoço e jantar”, continua. “Todos enfrentam dificuldades e desafios. Porém, enquanto para alguns esses entraves não passam de meras pedras no caminho, para outros a vida em si é uma pedra no caminho”.

No final do texto, a juíza encerra dizendo que o discurso da meritocracia “desresponsabiliza o Estado e joga nos ombros do indivíduo todo o peso de sua omissão e da falta de políticas públicas”. Até a noite de domingo (4/9), a postagem teve 52 mil curtidas e foi compartilhada mais de 17 mil vezes. A discussão ferve nos comentários também. Enquanto alguns elogiam, outros criticam a postura de Fernanda. “Então reparte com os menos favorecidos a tua casa”, provocou um usuário.

fernanda_post  

 

COMENTE

meritocracia
comunicar erro à redação